Brasileiros homenageiam ciclista morto em atropelamento há um ano em Dublin

Memorial em homenagem a Thiago foi criado em frente ao local do atropelamento. Foto: Daiane Vivatti


Uma bicicleta branca decorada com uma placa trazendo referências da vida de Thiago Cortes: a bandeira do Brasil, um trevo da Irlanda, o símbolo do time de futebol Vasco da Gama, o desenho de Rickshaw (bike com uma carroça acoplada para o transporte de pessoas), uma sigla para o Deliveroo e o dia de hoje: 02/09/2021. A data marca um ano da morte do ciclista carioca, atropelado na Capital irlandesa.

Foi com esse símbolo que um grupo de brasileiros se reuniu na região central de Dublin, na tarde desta quinta-feira (02), para homenagear Thiago. A caminhada, que iniciou no Spire, um dos principais pontos da cidade, seguiu até o local onde aconteceu o acidente, na área de North Wall Quay, próximo à região central.

Assim como no ano passado, quando centenas de brasileiros saíram às ruas de Dublin após a morte de Thiago, o dia foi de emoção para quem conhecia o ciclista e foi prestar sua homenagem. O amigo Saulo Campos, relembrou durante o trajeto que a esquina onde o imigrante foi atropelado era o ponto onde eles trabalhavam juntos quando levavam passageiros no Rickshaw.

“Isso faz parte da nossa história, a vida sobre o pedal, sobre a bicicleta. Então, é cheio de simbologia, de fatos, de alegrias que a gente guarda com a gente…lembranças. Foi um fato que marcou a Irlanda, então pra que fique na memória de todos, a gente está instalando hoje uma bike branca”, explicou Saulo.

Descrito por amigos como uma pessoa carinhosa, bondosa e sorridente, Thiago vivia na Irlanda desde o início de 2018. Natural do Rio de Janeiro, ele se mudou para Dublin junto com a noiva, Teresa Dantas. Ela decidiu permanecer na Capital irlandesa e encontrou amparo nos amigos para conseguir lidar com a ausência do companheiro.

“Com tudo isso que aconteceu eu vi quantas pessoas boas que eu tinha do meu lado. Ainda é muito difícil, mas aqui é onde eu resolvi morar, fazer minha vida, ele também, então, eu acho que foi a melhor decisão eu ter ficado aqui. É ainda muito difícil, mas cada dia diferente da última vez que a gente falou (em entrevista ao Agora Europa, um mês após a morte de Thiago). É uma coisa que sempre vai estar marcada na minha vida, mas você vai aprendendo a conviver e a viver com isso”, dasabafa Teresa emocionada.

“Eu espero que de fato ele se arrependa”

Aos 28 anos de idade, Thiago foi atropelado na noite de 31 de agosto de 2020, enquanto trabalhava fazendo entregas de comida por meio de um aplicativo. Socorrido ao hospital, o ciclista não resistiu aos ferimentos e faleceu dois dias depois.

Em maio deste ano, a Justiça irlandesa condenou um adolescente pelo atropelamento e morte do brasileiro. A sentença determinou que ele ficasse detido em uma instalação juvenil por dois anos. Na data do crime, o rapaz tinha 16 anos, e abandonou o carro em uma região próxima, após fugir sem prestar socorro.

A noiva do ciclista conta que o período de maior angústia foi até o momento em que o adolescente foi detido. Teresa diz que sempre confiou na Justiça e espera que o responsável pelo atropelamento esteja arrependido.

“Os advogados desse adolescente falaram que ele estava arrependido. Eu estive na audiência, e eu espero que ele esteja de fato porque nada vai trazer o Thiago de volta, nem pra mim, nem pra família do Thiago. Então, a Justiça foi feita, ele foi julgado e sentenciado e tudo o que eu posso esperar é que de fato ele se arrependa e que ele mude porque ele vai ter que conviver com o que aconteceu pro resto da vida”, diz Teresa.

Após o julgamento, a brasileira e a família da vítima decidiram não recorrer da sentença.

Compartilhar