Bilhetes de transporte ficam mais caros a partir deste domingo em Portugal


Quem comprar passagens individuais de transporte público em Lisboa e no Porto vai pagar mais caro a partir de domingo (1º). Com o início de 2023, também entra em vigor o reajuste nos preços de bilhetes individuais de metrô, ônibus e outros transportes nas duas maiores cidades de Portugal.

Em Lisboa, as passagens de metrô para uma viagem vão passar de € 1,50 para € 1,65. Já o cartão que dá direito a utilização do transporte público por um período de 24 horas, válido em todas as estações de metrô e ônibus da cidade, vai aumentar de € 6,45 para € 6,60. O mesmo cartão, com viagem de barco para travessia do rio Tejo, sofrerá um reajuste de € 0,10, passando para € 9,70. 

Já no caso do cartão que contempla o acesso ao metrô, ônibus e trens durante 24 horas, o custo de € 10,70 permanecerá o mesmo em 2023. Esse tipos de bilhete, chamados de “ocasional”, é bastante utilizados por turistas que visitam Lisboa, por exemplo. 

O passe mensal, conhecido como Passe Navegante, não terá aumento neste novo ano. O cartão, que custa € 40, dá direito a viagens na Área Metropolitana de Lisboa (AML) em todos os tipos de transporte público, desde os famosos bondinhos amarelos até os barcos, trens, ônibus e metrô.

Outro serviço que não terá reajuste é o Passe Navegante Municipal, que contempla apenas viagens dentro da cidade de Lisboa, e permanecerá pelo valor de € 30. Os preços de ambos passes estão em vigor desde que foram criados, em 2019. 

Todas as passagens, tanto ocasionais quanto os passes mensais, podem ser comprados nas máquinas automáticas localizadas em toda a rede do metrô ou nos postos de venda existentes nas maiores estações, como Cais do Sodré e Marquês do Pombal, por exemplo. É também possível adquirir através do site.

Transportes no Porto

Os meios de transporte público no Porto também terão um reajuste semelhante ao de Lisboa. O Passe Andante 24h, que contempla toda a rede de transporte, terá um acréscimo de € 0,50 por viagem em cada zona. O funcionamento do transporte na cidade é ofertado por zonas, com oito no total, que variam o preço.

A Zona 2 possui a taxa mais baixa e passará de € 4,20 para € 4,70, enquanto a mais cara, a Zona 9, custará € 13,90. Já no caso das passagens individuais, o aumento varia de € 0,05 até € 0,30, também dependendo da zona do passageiro.

Para quem utiliza ônibus no Porto, os bilhetes terão reajuste de € 0,50, passando dos atuais € 2,00 para € 2,50. No caso do passe mensal, também existente na cidade com inclusão de todos os tipos de transporte, o valor continuará custando € 40,00 para o metropolitano e € 30,00 para o municipal. A lista completa dos novos preços pode ser conferida através deste link.

Trens, barcos e pedágios

Outro transporte que vai ficar mais caro neste novo ano é o de barco no rio Tejo, em Lisboa. Segundo a operadora Transtejo Soflusa, os aumentos variam de € 0,05 a € 0,15, dependendo do destino do viajante. Uma tabela com os valores atualizados para todos as localidades está disponível neste link.

Já a Fetargus, que opera as viagens de trem entre as duas margens do rio e também em localidades da chamada Margem Sul, terá reajuste nas passagens individuais. O valor varia conforme o destino, de € 0,20 até € 0,30. O passe de 10 viagens entre Lisboa e Setúbal continuará com o mesmo preço de € 41,10. A lista atualizada com os novos preços podem ser consultados neste site.

No caso das passagens de trem operadas pela empresa estatal Comboios Portugal (CP) não haverá mudança nos preços, pois todos os valores foram congelados para 2023. A medida faz parte da ajuda do governo às famílias para reduzir os efeitos da inflação.

Ao mesmo tempo, os pedágios das estradas portuguesas, chamadas de “Portagens”, terão uma intervenção do estado para evitar um aumento maior do preço. Em 2023, o reajuste máximo será de 4,9%, conforme definido pelo governo português e entrará em vigor neste domingo (1º).

Segundo Pedro Nuno dos Santos, então ministro das Infraestruturas, caso a medida não fosse implementada, o valor poderia aumentar em até 10,5%, o que definiu como “insuportável”. Cada rodovia possui um valor diferente, que varia não só conforme a distância, mas também o tipo de veículo.

A Infraestruturas de Portugal, que opera o serviço, possui um simulador para calcular o preço dos pedágios. No caso de uma viagem de Lisboa até o Porto, por exemplo, o caminho mais curto em um carro de passeio custa, atualmente, € 22,20. Se aplicado o reajuste máximo de 4,9%, o custo passará a ser de € 23,28.

Compartilhar