Após liberar estudantes, Espanha mantém restrição aos turistas do Brasil

Turistas do Brasil seguem impedidos de viajarem para a Espanha. Foto: Canva


Após liberar a entrada de estudantes e familiares de cidadãos espanhóis na semana passada, a Espanha manteve a restrição para as viagens não essenciais do Brasil. O Ministério da Saúde revisou as regras e segue com a proibição do embarque de turistas, conforme documento publicado neste fim de semana no Boletim Oficial do Estado (BOE). A medida, que terminaria no dia 9 de agosto, foi prorrogada para entrar em vigor na terça-feira (10) e segue até o dia 23 de agosto.

Ainda segundo as informações do boletim oficial, os passageiros autorizados continuam obrigados a realizarem quarentena na chegada ao território espanhol. O isolamento é obrigatório mesmo para os viajantes vacinados.

Segundo o documento, a medida “se mostra muito eficaz”, uma vez que, desta forma, as pessoas são monitoradas e pode ser feito o controle de possíveis casos importados de Covid-19. A quarentena é de 10 dias e pode ser cumprida no local escolhido pelo viajante.

Em relação às conexões, o governo espanhol pontua que só são permitidas para passageiros que viajam com um destino fora ao Espaço Schengen. Não é permitido deixar a área de viagens internacionais do aeroporto.

Após a liberação da semana passada, que beneficiou estudantes e cônjuges de espanhóis, havia a expectativa de brasileiros para que a Espanha reabrisse totalmente as fronteiras. A próxima revisão das regras deve ocorrer na semana de 20 de agosto.

Restrição nos demais países europeus

A prorrogação determinada pelo governo espanhol é semelhante à de Portugal, que atualizou as regras na última sexta-feira (6). Até 31 de agosto, só é permitida a entrada de passageiros do Brasil que tenham um motivo essencial de viagem comprovado.

O teste PRC é obrigatório, bem como a quarentena de 14 dias na chegada ao país. Apenas estão dispensados do isolamento os viajantes que foram vacinados na União Europeia (UE) e aqueles que possuem o certificado de vacinação europeu válido.

A Itália também estendeu a restrição aos passageiros do Brasil até o dia 30 de agosto. O país não aceita a entrada de pessoas que tenham estado no território brasileiro nos últimos 14 dias, com poucas exceções.   

Os passageiros autorizados precisam apresentar um teste PRC antes do embarque e realizar um teste antígeno na chegada. O isolamento durante 10 dias também é necessário.

A Alemanha mantém o Brasil na lista de zonas de variantes e, por isso, só permite a entrada de cidadãos alemães e brasileiros com residência no país. Todos passageiros precisam comprovar, com documentos, que moram legalmente no território alemão.

Além da quarentena de 14 dias na chegada à Alemanha, os passageiros precisam realizar um teste PCR no período de 72 horas antes da chegada no aeroporto. O teste antígeno também é aceito, desde que realizado 24 horas antes da entrada no país.

Suíça e França permitem a entrada de turistas

A Suíça permite, desde o final de junho, a entrada de viajantes não essenciais do Brasil, vacinados ou não. As pessoas imunizadas não precisam realizar quarentena na chegada ao país, mas as regras podem variar conforme a vacina recebida.

O site do governo suíço possui um simulador de viagem, em que o passageiro pode consultar quais regras são aplicadas de acordo com o embarque e o status de vacinação.

A França também reabriu a fronteira aos turistas vacinados que embarcam no Brasil. No entanto, somente as vacinas aprovadas pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA, sigla em inglês) são aceitas.

Na última sexta-feira (6), o país decidiu permitir a entrada de estudantes, mesmo não vacinados, de países de alto risco, como o Brasil. A liberação ocorre às vésperas do início do ano letivo europeu, evitando que cerca de 350 brasileiros perdessem matrículas e bolsas de estudo em instituições de ensino francesas.

Compartilhar