Principais aeroportos de Portugal cancelam dezenas de voos devido a greve na França

O acordo alcançado entre a Direcção-Geral da Aviação Civil (DGAC) francesa e o Sindicato Nacional dos Controladores de Tráfego Aéreo (SNCTA), ainda nessa quarta-feira (24), não foi suficiente para prevenir os impactos da ameaça de paralisação nos voos com destino ao território francês. Em Portugal, os dois principais aeroportos do país registraram dezenas de partidas canceladas para esta quinta-feira (25).

Segundo dados levantados pelo Agora Europa, o Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, cancelou 21 voos com destino ao território francês entre as 10 horas da manhã e a meia-noite de hoje. No mesmo período, o Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, suspendeu 7 partidas, também para a França. As companhias aéreas mais afetadas são a TAP Air Portugal, a Ryanair e a EasyJet.

Esses cancelamentos impactaram não apenas a programação dos passageiros, mas também as operações das companhias aéreas. A Ryanair expressou insatisfação com a situação atual. Michael O’Leary, CEO da empresa irlandesa, criticou a Comissão Europeia por não tomar, segundo ele, medidas para proteger os voos que sobrevoam a França durante as greves. A Ryanair anunciou o cancelamento de mais de 300 voos de e para o território francês devido à ameaça de paralisação, afetando cerca de 50.000 passageiros, segundo a companhia.

A posição da Direcção-Geral da Aviação Civil (DGAC) francesa, embora tenha alcançado um acordo com o sindicato majoritário, não foi suficiente para prevenir os impactos da mobilização dos trabalhadores. Patrice Vergriete, Ministro Delegado para o Transporte, apesar de satisfeito com a modernização proposta para o controle de tráfego aéreo francês, não conseguiu mitigar as consequências imediatas para os aeroportos europeus.

Principais pontos do acordo:

  • Melhoria de Desempenho: O objetivo é elevar o desempenho dos serviços de navegação aérea aos melhores padrões europeus, crucial, sobretudo durante os períodos de maior tráfego, como as férias de verão e escolares.
  • Redução de Atrasos: As medidas de modernização têm como expectativa resultar na redução de um milhão de minutos de atraso até o ano de 2027, o que indicaria uma melhoria significativa na eficiência do tráfego aéreo.
  • Financiamento da Reforma: As modernizações previstas pelo acordo serão financiadas de maneira significativa através de taxas de navegação aérea cobradas das companhias aéreas. Não haverá demanda adicional sobre o orçamento do Estado ou custos para o contribuinte.
  • Apoio à Prática Profissional: As medidas também darão suporte ao desenvolvimento das práticas profissionais dos controladores de tráfego aéreo, visando uma operação mais ágil e atualizada.

LIsta de voos cancelados

Compartilhar