Portugal tem maior número de casos de Covid-19 em 10 meses


Nesta quarta-feira (1º), dia em que entraram em vigor as novas restrições para combater a pandemia de Covid-19 em Portugal, o país teve o número mais alto de novas infecções dos últimos 10 meses. De acordo com o relatório oficial da Direção Geral de Saúde (DGS), foram 4.670 pessoas contaminadas e 17 mortes. Também houve aumento de oito hospitalizações, elevando o total para 841 pessoas, além de 116 sob cuidados intensivos.

Nos últimos 30 dias, a média de casos diários de coronavírus mais que dobrou em Portugal. É diante deste cenário que o governo português decretou na semana passada, e que passaram a valer a partir de hoje, novas medidas para conter o avanço da pandemia no país.

Entre as novas regras, está a obrigação de apresentar um teste negativo para entrada no país, seja por via aérea, marítima ou terrestre. A medida é válida para todas as pessoas acima dos 12 anos, mesmo que estejam totalmente vacinadas. 

No caso dos aeroportos, todos os passageiros que chegam ao país serão fiscalizados. No Aeroporto de Lisboa, o maior de Portugal, a área de chegadas foi fechada aos visitantes para a realização do controle dos viajantes. A indicação das autoridades é que as pessoas que não vão viajar evitem ir ao local nos próximos dias.

As atuais regras seguem em vigor até 9 de janeiro. O governo não antecipou o que irá acontecer após a data. Desde o início da pandemia de Covid-19, as autoridades avaliam periodicamente a liberação de viagens. O Brasil está na lista de permissões desde setembro deste ano.

Certificado em restaurantes

Além das medidas de fronteira, passou a ser obrigatória a apresentação do certificado de vacinação ou recuperação da União Europeia, ou reconhecido no país, para acesso aos bares, restaurantes e hotéis. As pessoas que não possuem o documento precisam apresentar teste negativo para entrada.

Segundo as novas normas do governo português, é aceito um “comprovativo de realização laboratorial de teste com resultado negativo”. As regras oficiais não mencionam os autotestes na porta dos estabelecimentos. Para as refeições nas áreas externas, conhecidas como esplanadas, a certificação é dispensada.

Outros locais que exigem o documento são as academias, cassinos e eventos. Oficialmente, o certificado emitido no Brasil não é aceito em Portugal, o que exige dos turistas brasileiros a necessidade de testes para acesso a esses locais. O governo luso iniciou uma negociação com as autoridades brasileiras para o reconhecimento mútuo dos documentos, mas ainda não houve finalização do acordo, iniciado há quatro meses

Terceira dose da vacina contra Covid-19

Além das novas medidas, o governo também aposta no reforço da vacinação contra o coronavírus. Atualmente, estão sendo vacinadas com a terceira dose em Portugal as pessoas com mais de 65 anos, além das imunizadas com Janssen, por critério de idade. Outra obrigação, para o reforço dos vacinados com dose única, é que a injeção só pode ser aplicada pelo menos 90 dias depois da primeira vacina. De acordo com a Direção Geral de Saúde (DGS), mais de 1 milhão de vacinas de reforço já foram aplicadas no país. 

Em Lisboa, um novo centro de vacinação contra a gripe e Covid-19 foi inaugurado nesta quarta-feira (1º). Segundo comunicado da prefeitura municipal, o local é o maior do país, com capacidade para aplicar seis mil imunizantes por dia, duplicando o número de doses que podem ser administradas diariamente na cidade. 

O centro está localizado no pavilhão 4 da Feira Internacional de Lisboa (FIL), no Parque das Nações e o funcionamento será diário, incluindo domingos e feriados. Com a inauguração do espaço, outros três centros de imunização foram desativados na capital portuguesa. Além do novo local, o pavilhão do bairro Ajuda continua em atividade.

Compartilhar