Calcule como proposta de redução de imposto afeta o seu salário em Portugal

Nesta semana, o governo do novo primeiro-ministro de Portugal, Luís Montenegro (PSD), anunciou um plano para reduzir os impostos sobre os rendimentos dos trabalhadores portugueses. De modo geral, o governo propôs uma diminuição das taxas cobradas sobre os salários da população, atualmente escalonados em 8 níveis.

Embora a proposta de Montenegro ainda precise passar pelo Parlamento português, o Agora Europa preparou um simulador (abaixo) para que você possa comparar em quanto a nova proposta de redução do IRS vai impactar o seu salário em relação aos valores atuais, além de entender como funciona a taxação escalonada dos rendimentos em Portugal.

Assim como em outros países da Europa, no país luso, quando maior o salário, maior também é o peso do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS). Essa, no entanto, não é a única dedução que impacta sobre a quantia que vai parar no bolso dos trabalhadores do território luso.

No simulador abaixo, basta colocar o seu salário anual para entender quanto você paga de imposto sobre o seu rendimento e quais são as faixas de deduções.

Calculadora de Impostos Portuguesa

Insira o salário anual

SalárioAtualProposto
Salário anual com desconto
Total de taxas descontadas (anual)
Salário mensal líquido
Deduções mensais

Novo governo

O primeiro-ministro Luís Montenegro tomou posse no dia dois de abril, após uma nova eleição legislativa em Portugal. O pleito, realizado em 10 março, terminou com a vitória da Aliança Democrática, de Centro-Direita, no número absoluto de votos, conquistando 77 cadeiras no Parlamento. Já o Partido Socialista, de esquerda, que antes governava o país, obteve 78 deputados. O partido Chega, de extrema-direita, terminou com 50 representantes na casa.

Para garantir a formação de governo e barrar o avanço da extrema-direita, o Partido Social Democrata (PSD) fez uma aliança com o Partido Socialista (PS). O acordo prevê que um representante do PSD será presidente do Parlamento por dois anos e, nos dois anos seguintes, o cargo será presidido pelo PS. Com isso, em 27 de março, José Pedro Aguiar-Branco, do PSD, foi eleito para ocupar a posição.

As eleições ocorreram após o presidente português, Marcelo Rebelo de Souza, dissolver o parlamento devido à renúncia do então primeiro-ministro António Costa (PS). A saída do socialista ocorreu devido à uma investigação da Procuradoria-Geral da República de Portugal em que Costa foi alvo, em novembro de 2023.

Compartilhar