Portugal vai limitar horário das luzes de Natal para economizar energia


Portugal estará menos iluminado no Natal deste ano. Quem passar pelas tradicionais decorações depois da meia-noite a partir do dia 6 de dezembro não vai encontrar piscas-piscas ligados. O governo decidiu que as luzes poderão estar acesas somente das 18 horas à meia-noite.

A regra faz parte do “Plano de Poupança de Energia 2022-2023”, publicado nesta terça-feira (27) no Diário da República (DRE). O objetivo é a “garantia da segurança do abastecimento de energia” no país. A medida segue recomendação de autoridades europeias, que orientam os Estados-Membros a economizarem energia elétrica no outono e inverno deste ano. Desde o início da guerra na Ucrânia, a União Europeia (UE) tem visto o abastecimento de gás fornecido pela Rússia ser drasticamente reduzido, o que provocou também uma pressão nos preços da energia no bloco.

A orientação sobre as decorações de Natal será válida por um mês, de 6 de dezembro até o dia 6 de janeiro. Tradicionalmente, as decorações são inauguradas na primeira semana do mês natalino. Os pontos turísticos mais tradicionais, como a Praça do Comércio na capital lusa e a Avenida dos Aliados, no Porto, recebem grandes árvores de Natal, que estarão iluminadas por menos tempo nesta época festiva.

Mas as decorações alusivas ao período natalino não são os únicos alvos das ações de economia de energia. Outra regra é de que todas as decorações de edifícios públicos “de caráter decorativo” sejam desligadas a partir das 22h no inverno e a partir das 23h no verão. O governo também orienta que toda a iluminação dos prédios do serviço público seja desligada a partir da meia-noite, com exceção única para “questões de segurança”.

Em relação ao uso do ar-condicionado, a temperatura poderá ser de no máximo 18ºC no inverno e 25ºC no verão, ação semelhante à adotada pela Espanha em agosto deste ano. Quando os locais de trabalho não estiverem sendo ocupados, os aparelhos precisam estar desligados. No caso das empresas privadas, são apresentadas recomendações, como a redução da climatização dos espaços. 

A redução do número de pessoas nos ambientes de trabalho também é uma estratégia das autoridades portuguesas. A orientação é de “promoção do teletrabalho [trabalho em casa]”, tanto para os serviços públicos quanto privados.

Algumas das medidas apresentadas possuem data de validade, como é o caso da decoração natalina. No entanto, o plano de economia está previsto para permanecer em vigor até o final de 2023. A meta é reduzir em 15% o consumo de energia neste período.

Compartilhar