Morte de ciclista de 16 anos atropelada levanta debate sobre fim de vias rápidas em Lisboa

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Enquanto a capital portuguesa implementa programas para incentivar o uso da bicicleta como meio alternativo de transporte, uma tragédia reacendeu o debate sobre a limitação do uso de carros e o fim das vias rápidas na parte central da cidade.

Na noite de sexta-feira passada, a atleta Ana Oliveira, jogadora de basquete juvenil do Sporting, cruzava a faixa de pedestres no Campo Grande, em Lisboa, quando foi atingida por um carro que teria furado o sinal vermelho. Ela sofreu ferimentos graves, foi levada ao hospital de Santa Maria e morreu.

Nas redes sociais, o Sporting lamentou a morte da jovem: “6 anos de dedicação e devoção ao nosso Clube”, escreveu o clube português.

A tragédia repercutiu com força nas redes sociais durante todo o fim de semana. As imagens da bicicleta da jovem amassada justo em cima de uma marcação que indica que a via é compartilhada por ônibus e bicicletas foram compartilhadas centenas de vezes.

Imagens do socorro à jovem foram compartilhadas nas redes sociais acompanhadas de mensagens de revolta pelo acidente. Fotos: Reprodução/Redes Sociais

A comoção se transformou em combustível para o movimento de ciclistas na capital portuguesa. Uma manifestação, que já conta com mais de 1 mil interessados, está marcada para a próxima quinta-feira, às 19h. O protesto será no mesmo local onde a jovem foi atropelada, que fica em frente a um dos prédios da Câmara Municipal de Lisboa.

“É comum o sentimento de insegurança na via pública devido ao excesso de velocidades praticadas. Os utilizadores vulneráveis, pela sua condição, são quase sempre as vítimas da sinistralidade dentro da cidade”, afirmam os organizadores da manifestação.

Leia mais
Lisboa lança programa para ajudar residentes na compra de bicicletas novas

Os ciclistas querem que a Câmara tome medidas para garantir a segurança de quem anda de bicicleta em Lisboa, como a instalação de lombas e o limite de velocidade em 30km/h.

A via onde o acidente aconteceu é considerada quase uma autoestrada. São quilômetros em linha reta costeando o parque Jardim do Campo Grande. Os casos de excesso de velocidade ali são frequentes.

Na quinta-feira, os ciclistas pretendem bloquear a via por 16 minutos, representando a idade da jovem.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.