Covid-19: Portugal inicia agendamento para vacinar adolescentes


Após diversas discussões, Portugal irá começar a vacinar adolescentes de 12 a 15 anos. O agendamento para a faixa etária iniciou nesta quinta-feira (12). De acordo com comunicado do Serviço Nacional de Saúde (SNS), o cadastro ficará disponível até sábado (14).

Neste período, o agendamento da vacina é exclusivo para a faixa dos 12 aos 15 anos. O grupo será vacinado nos dois próximos finais de semana, nos dias 21, 22, 28 e 29 de agosto. A segunda dose está marcada para o segundo e terceiro finais de semana de setembro, adianta a força tarefa de vacinação.

Já o próximo sábado (14) e domingo (15), a imunização será reservada aos jovens de 16 e 17 anos. O governo anunciou maior celeridade na proteção dos estudantes para o início do ano letivo presencial, em setembro.

Mudança na recomendação

A vacinação dos adolescentes foi alvo de mudanças nas últimas semanas em Portugal. Inicialmente, a Direção Geral de Saúde (DGS) havia recomendado a aplicação apenas em pessoas com problemas de saúde. A recomendação dividiu especialistas e foi avaliada novamente, liberando a imunização para toda a faixa etária dos 12 aos 15 anos.

A mudança foi anunciada em coletiva de imprensa nesta semana. Segundo Graça Freitas, diretora da DGS, foi realizada uma nova análise com dados de vacinação de adolescentes na União Europeia (UE) e Estados Unidos. No entanto, a aplicação da vacina será realizada mediante de uma pessoa responsável, explica o órgão.

Itália também acelera vacinação de jovens e adolescentes

Na Itália, o governo anunciou, nesta semana, a aceleração da vacinação entre os adolescentes e jovens de 12 aos 18 anos. Os governos regionais foram orientados a priorizarem a aplicação das vacinas nesta faixa etária na próxima semana. A partir do dia 16 de agosto, os estudantes poderão ser imunizados sem a necessidade de marcação prévia.

A medida faz parte do plano de início do ano letivo. As aulas serão retomadas em setembro, de maneira presencial. A vacinação dos estudantes não é obrigatória, mas é recomendada pelas autoridades de saúde.

Já os funcionários dos locais de ensino terão que ter, obrigatoriamente, o certificado de vacinação para exercer as atividades profissionais. Conforme comunicado do Ministério da Educação, quem descumprir a medida é suspenso e deixa de receber salário.

Compartilhar