Países europeus banem voos e reforçam restrições ao confirmar nova variante

Diversos países europeus anunciaram, neste final de semana, a proibição de voos da região sul-africana depois da confirmação de uma nova variante de Covid-19. A mutação, que recebeu o nome de Ômicron pelos especialistas, foi considerada como ”variante de preocupação” pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O Ministério de Saúde da Dinamarca, que reportou dois casos da nova cepa de coronavírus neste domingo (28), afirmou que a forma da doença ”parece ser mais contagiosa do que a variante Delta”.

Na Holanda, 13 casos da mais recente mutação do coronavírus foram confirmados. Os passageiros que tiveram o diagnóstico positivo para a doença desembarcaram da África do Sul na última sexta-feira (26). Os Países Baixos atualizaram as medidas restritivas para chegadas internacionais nos aeroportos, proibindo viajantes da região depois da descoberta da Ômicron, assim como outros Estados-Membros da União Europeia. Os holandeses estão sob um rigoroso regime de restrições desde o sábado (27), quando entrou em vigor um novo decreto do governo limitando o horário de funcionamento do comércio.

Além da Holanda e da Dinamarca, a Alemanha, Bélgica, Itália e República Tcheca já identificaram a mutação entre cidadãos infectados com a Covid-19. No território germânico, onde a situação é considerada pelo ministro da Saúde, Jens Spahn, como ‘’dramaticamente séria, como nunca nesta pandemia’’, a variante foi detectada em um residente que voltava da África do Sul para a Baviera, no sudeste do país. Diante do risco de propagação de uma forma ainda desconhecida do vírus, os governantes alemães baniram os voos de regiões afetadas pela variante. No momento, somente pessoas com residência na Alemanha têm a entrada permitida, mas estão sujeitas à quarentena obrigatória.

A Bélgica foi o primeiro país da Europa a detectar a presença da cepa sul-africana do coronavírus, ainda na sexta-feira (26), quando a União Europeia (UE) propôs a suspensão de voos de nações do sul da África diante da descoberta da nova variante da doença. Desde o sábado (27), novas regras que limitam o contato da população estão em vigor. As casas noturnas também estão impedidas de funcionar até, pelo menos, o dia 15 de dezembro.

O Reino Unido, que recentemente saiu do bloco europeu, também registrou dois casos da Ômicron no final de semana. Em comunicado oficial, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, destacou a importância da vacinação no combate à pandemia: ‘’Parece que a (variante) Ômicron se propaga muito rapidamente e pode se espalhar entre pessoas que foram vacinadas duplamente. Não sabemos ainda o quanto a vacina será eficaz contra a Ômicron, mas nós temos indícios para acreditar que elas vão oferecer, ao menos, algum nível de proteção’’, sugeriu Johnson.

Como forma de prevenção, o governo britânico também proibiu voos de dez nações sul africanas desde a sexta-feira (28), e anunciou ainda a reintrodução dos testes PCR no segundo dia após a chegada ao território e quarentena aos passageiros de voos internacionais.

Compartilhar

3 Comments

Não é possível deixar seu comentário no momento.