França tem primeiro turno para eleição de deputados neste domingo

Função dos deputados é aprovar as leis e fiscalizar o governo. Foto: Canva


Menos de dois meses após a eleição presidencial na França, os eleitores voltam às urnas neste domingo (12) e no próximo (19) para eleger 577 deputados e deputadas da Assembleia Nacional. O pleito ocorre a cada cinco anos, por meio do sistema de círculos eleitorais, com votação em dois turnos. Neste ano, 48,7 milhões de eleitores estão inscritos para votar.

O país está dividido em 577 círculos eleitorais, que são divisões territoriais, similares ao que são as zonas eleitorais no Brasil. A diferença, no entanto, é que cada círculo tem apenas um representante eleito. De acordo com as regras do país, para se eleger no primeiro turno, o candidato precisa ter maioria absoluta dos votos, além de um número de votos igual a um quarto (25%) dos eleitores registrados naquele domicílio eleitoral.

Se isso não ocorrer, para ir ao segundo turno, os candidatos precisam obter votos de, no mínimo, 12,5% dos eleitores inscritos no círculo eleitoral na primeira votação. No segundo pleito, será eleito como deputado o candidato que receber o maior número de votos.

O número de círculos eleitorais varia conforme a região do país (conhecidas como departamentos). Em geral, cada grupo é formado por cerca de 125 mil habitantes. A região de Nord, no Norte do país, é a que possui o maior número de círculos eleitorais, com um total de 21, seguida de Paris, com 18. No total, existem 102 departamentos de votação no país e no exterior, somando milhares de candidatos e candidatas. 

A eleição dos deputados também define como será a formação do governo francês, geralmente coordenado por um representante do partido com maioria parlamentar. Atualmente, o maior número de cadeiras (226), pertence ao partido En Marche! (Em Marcha, em tradução literal), do presidente Emmanuel Macron, reeleito em abril para um mandato de cinco anos. Se o atual presidente não conseguir maioria na eleição legislativa, pode ser forçado a realizar mudanças no cargo ocupado pela primeira-ministra Élisabeth Borne, nomeada no dia 16 de maio deste ano.

No total, nove partidos diferentes, além de 25 deputados independentes, que não são ligados a nenhum grupo eleitoral, compõem a Assembleia Nacional. Na legislatura atual, dos 577 parlamentares, 349 são homens e 228 são mulheres. A função dos deputados na França é propor e aprovar leis, bem como fiscalizar o trabalho do governo.

O voto não é obrigatório no país. Podem participar da eleição apenas os cidadãos franceses maiores de 18 anos, sejam nascidos no país ou com nacionalidade francesa adquirida. A votação é realizada em papel no círculo eleitoral em que a pessoa está inscrita. É possível consultar a lista de candidatos e as propostas neste link.

Compartilhar