Feira do Livro de Madri volta a ser presencial

A montagem dos estandes no Parque de El Retiro já começou. Foto: Prefeitura de Madri.

A 80ª edição da Feira do Livro de Madri já tem data marcada: 10 a 26 de setembro, no Parque de El Retiro, um dos principais pontos turísticos da capital. Depois da realização virtual do evento no ano passado devido à pandemia de Covid-19, a feira agora recupera o formato presencial e espera atrair a quantidade de público alcançada em 2019, que foi de 2,3 milhões de pessoas.

Durante 17 dias, os visitantes poderão disfrutar de uma vasta oferta literária, bem como de eventos culturais e mais de quarenta atividades, voltadas para o público adulto e infantil, segundo informa a prefeitura de Madri. Ao todo, serão mais de 320 expositores, entre livrarias e editoras.

Para a conselheira de Cultura, Turismo e Esporte de Madri, Marta Rivera de la Cruz, a realização presencial da feira mais prestigiada da capital é uma alegria: “Poder voltar a celebrar a Feira na sua casa, que é o Parque do Retiro, é uma boa notícia não só para indústria cultural e do livro, mas também para todo o setor cultural e especialmente para todos que disfrutam dos livros e da literatura”, comemorou Marta.

Nesta edição, devido à pandemia, o evento será realizado em um espaço mais reduzido para garantir o controle do número de pessoas e terá algumas restrições para evitar novos contágios de coronavírus. Entre elas, a redução da capacidade total de público, que não poderá ultrapassar 75%, obrigatoriedade do uso de máscara em todos os ambientes e a manutenção da distância social entre os frequentadores.

O evento também apresenta novidades neste ano. Segundo a programação oficial, será realizada a exibição de uma história gráfica do evento desde 1933, quando foi realizado pela primeira vez no Paseo de Recoletos, até hoje.

Colômbia será o país homenageado da Feira

Neste ano, o país homenageado será a Colômbia, escolhido devido ao surgimento de novos escritores e a proliferação de festivais literários e feiras de livros nos últimos anos. Para o diretor da Feira, Manuel Gil, “a Colômbia é um verdadeiro epicentro cultural na América Latina”.

Segundo dados da Câmara Colombiana do Livro, a oferta do setor editorial deste país cresceu muito. Entre 2010 e 2018, o registro de títulos publicados passou de 13.168 para 20.876, com grande diversidade de gêneros e áreas temáticas.

Em Madri, o público poderá adquirir obras de reconhecidos escritores colombianos como Manuel Zapata Olivella, Alejandro Obregón, Enrique Grau, Edgar Negret, Manuel Humberto Rodríguez, Nereo López, Lucy Tejada y Cecilia Porras. Além disso, serão oferecidas 40 atividades culturais de artes visuais, cinema, gastronomia e música, tanto para o público adulto quanto para o infantil.

A Feira do Livro de Madri, organizada pela Associação de Empresários e Empresárias do Comércio do Livro de Madri, foi declarada em 2020 pela Prefeitura da Capital, evento de especial relevância cidadã e de interesse geral para a cidade. Mais informações sobre a feira podem ser obtidas no site oficial. Além da Espanha, as duas maiores cidades de Portugal, Lisboa e Porto, realizam Feiras do Livro nesta semana.

Compartilhar