Espanha terá onda de calor intenso a partir de quarta-feira

As temperaturas serão mais altas que o normal, para esta época, em quase todo o país. Foto: Canva


A partir desta quarta-feira (11), a Espanha vai sentir os efeitos de um verão ainda mais ardente. Chega ao país uma onda de calor com temperaturas que podem ultrapassar os 44 graus em algumas regiões, como em Andaluzia, no sul da Espanha. Segundo a Agência Estatal de Meteorologia (AEMET, sigla em espanhol), o aumento das temperaturas irá durar de cinco a seis dias e será intenso, tanto durante o dia como à noite.

Os dias mais quentes, segundo a meteorologia, estão previstos entre sexta (13) e domingo (15), quando as temperaturas poderão ultrapassar os 40 graus na metade sul, leste e centro do país, com destaque para Cuenca del Ebro e Ilha de Mallorca. No entanto, já na quinta-feira (11), os termômetros deverão marcar até 42 graus nos vales do Tejo, Guadiana e Guadalquivir.  

A agência ainda explica que a onda de calor será acompanhada por uma massa de ar “muito quente” vinda da África, que se estenderá por quase toda Península e Ilhas Baleares, com exceção das regiões de Cantábria e Galícia. A AEMET também indica que durante estes dias haverá pouco vento e o ar será “tão quente” que não se dispersará. A previsão é que as temperaturas voltem a baixar somente na segunda-feira (16).

Risco de Incêndios na Espanha e em Portugal

Com o forte calor e ventilação escassa, há pouca possibilidade de chuvas, o que aumenta o risco de incêndios em todo o país. Segundo o Ministério da Transição Ecológica, as regiões em maior risco são o norte e leste da Espanha.

Outro alerta da agência é para a poeira em suspensão e as altas temperaturas por tempo prolongado, que podem provocar problemas de saúde e dificuldade de respirar. Por isso, as autoridades e o governo espanhol pedem prudência à toda a população e recomendam beber água com frequência e evitar realizar esportes, ao ar livre, nas horas mais quentes do dia.

Em Portugal, país que também costuma enfrentar incêndios florestais no verão, três regiões (o Sul, Centro e Norte) estão em risco máximo. Nesta terça-feira (10), mais de 20 bombeiros combatem as chamas em quatro cidades da região central de Portugal, de acordo com o monitoramento realizado pela Proteção Civil do país.

Sobre as temperaturas, o Instituto Português do Mar e Atmosfera (IPMA), informa que haverá uma “subida ligeiramente acima do normal” até o dia 14 de agosto. No Norte do país, principalmente na região do Douro, as máximas podem chegar aos 42° C. Nas demais áreas do território continental, o instituto prevê que as máximas ficarão abaixo dos 39° C no interior e abaixo dos 30° C no Litoral do país.

Mediterrâneo será o mais atingido por fenômenos globais

De acordo com o sexto relatório de 250 cientistas do clima elaborado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e apresentado nesta segunda-feira (9), a zona do Mar Mediterrâneo (que inclui a Península Ibérica) é uma das áreas globais mais sensíveis aos fenômenos extremos.

Nos últimos dias, países como a Grécia e Itália enfrentam uma onda de incêndios, que devastou quilômetros de florestas e regiões. Apesar dos esforços enviados, com helicópteros e bombeiros, o fogo persiste há mais de uma semana.

Compartilhar

1 Comment

Não é possível deixar seu comentário no momento.