Espanha cria linha telefônica de apoio 24 horas para prevenção ao suicídio

Número é o 024, com chamada gratuita e confidencial. Foto: Divulgação/Governo da Espanha


A Espanha começou a realizar atendimentos de prevenção ao suicídio, nesta terça-feira (10), com o lançamento de uma linha telefônica de apoio 24 horas. A iniciativa foi lançada com o slogan “Chamada à vida”. O número disponível para quem estiver em território espanhol é o 024.

O telefone possui um sistema que permite tradução em tempo real para o atendimento de pessoas que não falam espanhol. Além disso, inclui um serviço de interpretação em vídeo e linguagem de sinais. De acordo com o Ministério da Saúde espanhol, as chamadas são totalmente gratuitas e confidenciais.

Quem atende as ligações são profissionais e especialistas no assunto com objetivo de ajudar pessoas que possuem comportamentos que possam levar ao suicídio, ou até mesmo familiares que estejam preocupados com o assunto. As chamadas podem ser realizadas sete dias por semana, mesmo em feriados, em qualquer horário do dia.

Segundo as autoridades espanholas, a linha está conectada aos serviços de emergência das diferentes comunidades e cidades autônomas para intervir em situações de risco. No total, o serviço possui um gerente, 11 supervisores e 26 atendentes com experiência na área.

Conforme a ministra da Saúde, Carolina Darias, o país tem como prioridade o cuidado com a saúde mental. “[Esse tema] faz parte da Agenda Pública para tornar [essas situações] visíveis, acabar com os estigmas e tabus que existem em torno dessa realidade e quebrar os pesados silêncios que estão sobre ela”, destaca Darias.

Dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) espanhol mostram que o suicídio é a principal causa de morte entre jovens na Espanha. No total, foram registrados 3.491 suicídios no país em 2020, entre todas as faixas etárias. O número é 7,4% maior do que em 2019.

Segundo o Conselho Geral de Psicologia espanhol, o país tem três vezes menos profissionais de psicologia na saúde pública do que a média europeia. Enquanto a média do continente é de 18 profissionais a cada 100 mil habitantes, na Espanha o número é de apenas seis.

Compartilhar