Nova greve na Alemanha afeta trens de carga e passageiros

A segunda paralisação no mês de agosto é resultado da insatisfação dos motoristas com as propostas salariais da empresa Deutsche Bahn.
Foto: Canva

Dez dias após a última paralisação, o Sindicato dos Motoristas Alemães (GDL, sigla em alemão) convocou uma segunda greve de trens no país, afetando milhares de pessoas. A partir das duas horas da madrugada (hora local) desta segunda-feira (23), os motoristas e outros funcionários da empresa Deutsche Bahn suspenderam novamente as atividades nas linhas de passageiros.

No último sábado (21), o sindicato paralisou os trens de carga e anunciou a extensão da greve para os viajantes por 48h. Segundo comunicado oficial, as rotas devem ser normalizadas na manhã da próxima quarta-feira (25). A empresa ainda afirma que tentará manter 40% das rotas operantes, em horários reduzidos ou em substituições por ônibus, mas pede que se possível, os passageiros adiem as viagens de longa e curta distância.

Para o líder do sindicato, Claus Weselsky, a greve é uma resposta a última proposta de aumentos salariais da empresa. Os trabalhadores pedem um reajuste de 3,2% na remuneração nos próximos 28 meses, bem como um bônus de 600 euros em decorrência da pandemia de covid-19. A contraproposta da Deutsche Bahn segue sendo de 1,5% de aumento salarial no próximo ano.

O sindicato informa ainda que opta pela paralisação durante a semana para diminuir o impacto nas viagens de férias de verão, mas que se o impasse seguir, pode mudar de estratégia. Além da Alemanha, a greve também pode impactar linhas em Luxemburgo, conforme comunicado divulgado pela Companhia Ferroviária Nacional de Luxemburgo (CFL, sigla em inglês). As linhas afetadas, tanto regionais como internacionais, além do formulário para reembolso dos bilhetes podem ser encontradas no site da Deutsche Bahn.

Compartilhar