Alemanha: eleições deste domingo marcam o fim da era Angela Merkel após 16 anos

A eleição parlamentar federal da Alemanha está marcada para este domingo (26), quando o país vai escolher o novo corpo legislativo alemão e chefe de governo. Após 16 anos no poder, a chanceler Angela Merkel não será uma das candidatas à reeleição, aposentando-se após o anúncio da nova figura que a substituirá no comando da política alemã.

O voto para o chanceler não é direto; ou seja, após a formação do parlamento, os partidos fazem coalizões. A coalização majoritária indica o nome do próximo chanceler e não há mais discursos e debates. Esse processo deve atingir a maioria absoluta de votos para, então, ser validado. Angela Merkel é a primeira mulher a chefiar o governo germânico, quando foi eleita em 2005 e reeleita nos anos de 2009, 2013 e 2017.

Somente cidadãos alemães (mesmo naturalizados) a partir dos 18 anos podem votar nas eleições parlamentares. Para os pleitos municipais e distritais, cidadãos europeus estão aptos a participarem da votação. O país é dividido pelos principais partidos listados, em ordem alfabética, abaixo:

• A Esquerda (Die Linke): fundado em 2007 a partir da fusão do Partido do Socialismo Democrático;
• Alternativa para a Alemanha (AfD): é um partido populista de extrema-direita, criado em 2013.
• Os Verdes (Die Grünen): surgiu no final dos anos 70 com foco na sustentabilidade ecológica e social do país, cuja candidata ao posto de Merkel é Annalena Baerbock;
• Partido Democrático Liberal (FDP): ativo desde 1948 e surgiu na fusão de esquerdistas-liberais com nacionais-liberais;
• Partido Social-Democrata (SPD): um dos mais antigos da Alemanha, foi fundado em 1863. Surgiu do movimento da classe trabalhadora. Olaf Scholz, atual vice-chanceler alemão, concorre ao posto de primeiro-ministro do país;
• União Democrata-Cristã (CDU): atual partido de Angela Merkel, desde 1950 representa a ideologia conservadora de centro-direita. A sigla é comandada por Armin Laschet, que se candidata como sucessor da chanceler. Importante: no estado da Baviera, o partido não concorre às eleições, sendo representado pelo partido de coligação, União Social-Cristã da Baviera (CSU).

A votação é facultativa na Alemanha, o que significa que os residentes não precisam se justificar caso não compareçam às urnas. Os locais de votação podem ser em prefeituras, escolas e museus. Há ainda a opção de voto pelo correio, onde o cidadão recebe em sua casa as cédulas que devem ser enviadas até o dia da eleição.

De acordo com dados do Departamento Federal de Estatística da Alemanha, 60,4 milhões de pessoas (com idade igual ou superior a 18 anos) são aptas a votarem nas eleições nacionais. O maior número de eleitores elegíveis vive no Estado da Renânia do Norte-Vestefália, seguido por Baviera e Baden-Württemberg, que compõem o noroeste, sudeste e sudoeste do país, respectivamente. A Capital, Berlim, está situada no nordeste do território alemão.

Compartilhar

1 Comment

Não é possível deixar seu comentário no momento.