Covid-19: Alemanha impõe novas regras para uso do transporte público

A Alemanha anunciou nesta sexta-feira (19) a aprovação das novas medidas sanitárias contra a pandemia do coronavírus. Para frear o número crescente de contágios, o país passa a adotar a regulamentação “3G” (vacinado, recuperado ou testado) em todos os transportes públicos locais e de longa distância. Entre as recomendações, o governo ainda aconselha o trabalho remoto o máximo possível. Com o objetivo de proteger os grupos mais vulneráveis, especialmente os idosos, o teste negativo para Covid-19 também será exigido de funcionários e visitantes de hospitais ou centros de prevenção e reabilitação. As regras entrarão em vigor depois da publicação no Diário Oficial da União.

O Parlamento e o Conselho Federal acordaram que as possíveis medidas de proteção podem valer em território germânico até 19 de março de 2022, independentemente da situação epidêmica no país. Além disso, a emissão não autorizada de certificados de saúde e o seu uso incorreto serão considerados como crime.

Segundo dados do Instituto Robert Koch, nesta semana a Alemanha passou a marca de 65 mil novos casos em apenas 24h. No relatório atualizado, a incidência nacional de sete dias é de 340,7 casos por 100 mil habitantes. Já nas últimas semanas do seu mandato, a chanceler Angela Merkel disse que a situação do país é “dramática”.

Novas medidas em regiões pelo país

Na tarde de hoje (19), o ministro-presidente da Bavária, Markus Söder, anunciou que haverá um lockdown regional nas cidades onde a incidência de novos casos por 100.000 habitantes for superior a 1.000, no período de sete dias. “As exceções são feitas apenas para escolas, creches e varejo com um máximo de um cliente por 20 metros quadrados”, segundo Söder.

As medidas 2G (vacinados ou recuperados) passam a valer em todo o sudeste da Alemanha, que incluem “serviços próximos ao corpo” (como cabeleireiro e massagem, por exemplo) e também para as universidades. Para atividades culturais, esporte e lazer, a regra vigente é a 2G Plus, que determina que apenas vacinados ou recuperados podem participar de tais ações, desde que apresentem um teste negativo para o coronavírus. Na terça-feira (16) a prefeitura de Munique anunciou o cancelamento dos tradicionais mercados de Natal.

Desde a última sexta-feira (12), a capital alemã, Berlim, também adotou regras mais rígidas para os não vacinados. Isso implica uma proibição para a entrada em restaurantes e locais de lazer, academias, serviços sexuais e de cuidado pessoal. Regiões da Saxônia também estão com os mesmos protocolos de segurança, com a obrigatoriedade de prova de vacinação ou comprovante de recuperação da doença.

Vacinação liberada para maiores de 18 anos

O país tem 70,4% da população vacinada pelo menos uma vez, e 67,9% com doses completas contra a doença. Para incentivar mais a imunização, pessoas maiores de 18 anos já podem receber a dose de reforço, que deve ser administrada seis meses após a última. A redução do intervalo de seis para cinco meses pode ser avaliada apenas em casos específicos. Com o ritmo lento de vacinação, o possível novo chanceler, Olaf Scholz, reitera que “aqueles que ainda não foram vacinados devem fazer um esforço”.

Compartilhar

1 Comment

Não é possível deixar seu comentário no momento.