Portugal vai reabrir bares e casas noturnas no dia 14 de janeiro


As casas noturnas e bares em Portugal, fechadas desde o dia 25 de dezembro, poderão reabrir no dia 14 de janeiro. Para entrada nos estabelecimentos, continuará sendo necessário um teste negativo para a Covid-19, mesmo no caso das pessoas vacinadas. As informações foram anunciadas pelo primeiro-ministro, António Costa, após reunião do Conselho de Ministros nesta quinta-feira (6).

A partir do mesmo dia, o trabalho remoto deixa de ser obrigatório, embora continue sendo recomendado pelo governo. As aulas também serão retomadas na próxima segunda-feira (10), conforme o calendário que estava previsto inicialmente. Costa ressaltou que, duas semanas após o reinício do ano letivo, será realizada a testagem dos profissionais que atuam nas creches e escolas do país. 

Ao mesmo tempo, vai ser mantida a obrigatoriedade do certificado de vacinação, recuperação ou teste para entrada em restaurantes, academias, hotéis, espetáculos culturais e eventos com lugares marcados. Também continuará sendo proibido o consumo de bebidas alcoólicas nas vias públicas de Portugal.

Nos estabelecimentos comerciais, a lotação será de uma pessoa a cada cinco metros quadrados e voltará a ser permitido realizar promoções, conhecidas em Portugal como “saldos”, que ocorrem tradicionalmente após o Natal.

Viagens

Em relação às fronteiras, o governo decidiu manter, até 9 de fevereiro, a obrigatoriedade de um teste negativo para entrada no país. A medida é válida para todas as pessoas acima dos 12 anos, incluindo os viajantes totalmente vacinados. São aceitos exames PCR com validade de 72 horas ou testes de antígeno realizados nas 48 horas antes do embarque. 

Segundo o primeiro-ministro, a fiscalização também será mantida. Desde que a obrigatoriedade do teste foi implementada, 1,2 milhão de passageiros e 11 mil voos foram fiscalizados. As multas foram aplicadas em dois mil viajantes e 38 companhias áreas.

Não foi mencionada a proibição de viagens não essenciais de nenhuma origem. A lista de países autorizados deverá ser atualizada perto dia 9 de janeiro. 

Dose de reforço 

Outra medida anunciada pelo governo português foi a necessidade de teste adicional em pessoas que não receberam a dose de reforço e desejam visitar asilos ou hospitais. A mesma regra se aplica para acesso a “grandes eventos” sem lugares marcados. A terceira injeção começa a ser válida 14 dias após a aplicação.

De acordo com as autoridades portuguesas, já foram aplicadas mais de 3 milhões de terceiras doses. No caso das pessoas com mais de 65 anos, 83% já está imunizada com o reforço. A aplicação da terceira vacina está aberta para pessoas acima dos 50 anos em Portugal, país que tem 89% da população vacinada contra a Covid-19.

90% dos casos são da nova variante

Atualmente, a variante Ômicron já é responsável por 90% dos casos confirmados de Covid-19 em Portugal, segundo especialistas ouvidos pelo governo na quarta-feira (5). No entanto, de acordo com António Costa, o número de óbitos e hospitalizações permanece abaixo do mesmo período do ano passado, quando a campanha de vacinação estava no início: “Podemos avançar, mas com cautela”, declarou o líder do país.

Nas últimas 24 horas, o país teve 39.074 novos casos confirmados da doença, além de 25 óbitos, 66 a menos do que a mesma data em 2020. Estão hospitalizadas 1.311 pessoas e 158 sob cuidados intensivos. Há exatamente um ano, o número de pacientes graves era três vezes maior, com 513 internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e duas vezes mais hospitalizações em leitos normais, que, na época, eram de 3.239. 

Compartilhar

1 Comment

Não é possível deixar seu comentário no momento.