Portugal: 83% das cidades perderam habitantes nos últimos 10 anos

Região do Alentejo foi a que mais teve perda populacional. Foto: Canva


Na última década, 257 dos 308 municípios portugueses perderam população, o que equivale a 83% das cidades do país, revelou o Censo 2021. Os dados preliminares foram divulgados na quarta-feira (28). No relatório anterior, de 2011, a perda de população ocorreu em 198 municípios.

Ainda segundo a pesquisa, realizada em abril, a população portuguesa diminui 2% nos últimos 10 anos. O total de moradores no território atualmente é de 10.347.892 pessoas. São 214 mil residentes a menos do que em 2011. O resultado da década acompanha a tendência recente, com diminuição de mais de duas mil pessoas ao longo de 2020, na comparação com o ano anterior.

O relatório ainda aponta que 50% da população se concentra em 31 cidades do país. As regiões mais povoadas são a Área Metropolitana de Lisboa (AML) e o Porto, no Norte. Segundo a publicação, foi “acentuado e reforçado” o padrão de concentração na área da capital.

Os dados também mostram que as mulheres são maioria em Portugal, com 5.430.098, o que equivale a 52% da população total. Os homens são 4.917.794, o equivalente a 48% dos habitantes.

Imigração não foi suficiente, destaca Censo

Nos últimos anos, Portugal tem criado políticas para atrair imigrantes ao país. Segundo dados oficiais, desde 2015 é registrado crescimento na população estrangeira. Em 2017, o governo facilitou ainda mais o pedido de vistos de residência, atraindo, principalmente, a comunidade brasileira, que lidera o ranking desde 2012.

No entanto, o Censo destaca que o “saldo migratório ocorrido, apesar de positivo, não foi suficiente para inverter a quebra populacional” na última década. De acordo com o último Relatório de Imigração e Asilo, existem 662.095 imigrantes residentes em Portugal. Destes, 188.993 são brasileiros. O levantamento não contabiliza aqueles que estão em processo de legalização ou que possuem dupla cidadania.

Compartilhar