Recuperação pós-pandemia: Portugal e Espanha vão receber auxílio de € 80 bi

Com informações de Amanda Lima, de Lisboa, e Thaís Baldasso, de Madri.

Portugal e Espanha foram os primeiros países a terem seus planos de recuperação financeira pós-pandemia aprovados pela União Europeia (UE). O valor que será destinado diretamente aos dois governos, entre julho de 2021 e o final de 2026, ultrapassa os 80 bilhões de euros. Os recursos são oriundos do programa “Next Generation UE” (Próxima Geração UE, em tradução livre), um financiamento comum, inédito no continente, para ajudar as nações mais afetadas pela crise causada pela pandemia de Covid-19.

A aprovação do auxílio financeiro foi anunciada, pessoalmente, pela presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, que iniciou nesta quarta-feira (16), um roteiro de visitas por diversos países que serão beneficiados com o programa. A primeira parada foi em Portugal, onde a líder europeia desembarcou utilizando o “Certificado Covid-19 da UE”.

Em Lisboa, Ursula anunciou a aprovação do plano ao lado do primeiro-ministro, Antônio Costa. O país receberá 16,9 bilhões de euros até 2026. Segundo Costa, os recursos serão investidos em programas que fortalecem o Sistema Nacional de Saúde (SNS). Além disso, o governo prevê tornar a habitação mais acessível e diminuir as desigualdades do país: “É para nós uma honra e uma enorme responsabilidade. Queremos ser os melhores (..), reconstruindo o futuro”, explicou o líder português.

A presidente da Comissão Europeia destacou que o suporte financeiro irá ajudar na recuperação da crise, uma vez que Portugal foi um dos Estados-Membros mais afetados: “As reformas e os investimentos previstos neste plano permitirão a Portugal sair da crise da Covid-19 mais forte, mais resiliente e mais bem preparado para o futuro”, ressaltou Ursula. A previsão é que os recursos sejam enviados a partir de julho.

Espanha

Em Madri, Ursula von der Leyen esteve reunida com o presidente do Governo da Espanha, Pedro Sánchez, onde anunciou a liberação de 69,5 bilhões de euros, até 2026, em recursos diretos para o país. O financiamento será usado para as reformas que constam no plano de recuperação e resiliência da Espanha.

A primeira parcela, no valor de nove bilhões de euros, será liberada em julho e aplicada pelo governo espanhol na recuperação econômica e social. A segunda, de 10 bilhões de euros, chegará em dezembro, se todos os prazos forem respeitados e as reformas prometidas forem aprovadas.

Além do montante anunciado hoje, o país vai receber mais recursos até o fim de 2026, em forma de empréstimos. O valor final pode chegar a 140 bilhões de euros. O fundo de recuperação europeu tem como prioridades a transição ecológica e digital.

O que prevê o plano espanhol

O plano destina 40% da quantia total a medidas de apoio aos objetivos climáticos traçados pelo país. Entre elas estão: promover a mobilidade urbana sustentável e de longa distância, aumentar a eficiência energética dos edifícios públicos e privados, descarbonizar a indústria, reduzir a dependência energética e implantar novas tecnologias para hidrogênio verde e energia renovável.

A Espanha também inclui ações para aliviar os efeitos adversos das mudanças climáticas, conservando as áreas costeiras, os ecossistemas e a biodiversidade, além de promover a economia circular, melhorando a gestão da água e dos resíduos.

Já 28% dos recursos totais serão destinados à transição digital. O plano aprovado pela Comissão prevê ações para auxiliar na digitalização da administração pública, da indústria e das empresas, incluindo um programa específico para a digitalização das pequenas e médias empresas. Também estão previstos investimentos em equipamentos tecnológicos para educação e aprimoramento de competências digitais.

Durante o ato de anúncio da liberação de recursos, a presidente da Comissão Europeia elogiou o plano apresentado pela Espanha: “Tenho o prazer de apresentar a avaliação positiva da Comissão Europeia sobre o plano de recuperação e resiliência da Espanha, no valor de € 69,5 bilhões. Este plano irá transformar profundamente a economia espanhola e torná-la mais verde, mais digital e mais resiliente. Apoiamos este plano porque é ambicioso, com visão de futuro e contribuirá para um futuro melhor para o povo espanhol. A forte apropriação nacional deste plano é um bom presságio para o êxito da sua execução”, afirmou Ursula.

A Espanha será o segundo maior beneficiado com os fundos europeus.  O país que receberá o maior valor em recursos é a Itália, com 210 bilhões de euros. No total, o programa “Next Generation UE” irá disponibilizar de 750 milhões de euros distribuídos entre os 27 estados-membros do bloco.

 

 

 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.