Eslovênia amplia o uso de certificado de Covid-19 para crianças de 12 anos

Depois de declarar o “fim da epidemia” em junho deste ano, o governo da Eslovênia decretou, na manhã de sábado (6), que novas medidas serão tomadas a fim de conter o crescimento descontrolado de casos de coronavírus no país. As mudanças entram em vigor na próxima segunda-feira (8), e incluem a ampliação do uso do certificado Covid-19 para pessoas a partir dos 12 anos (a regra anterior exigia o documento a partir dos 15 anos), limite de horário de funcionamento de bares e restaurantes, além da proibição de eventos.

De acordo com a determinação, bares e restaurantes devem funcionar entre as 5h e 22h, e só poderão ser atendidos clientes sentados. Nesses locais, é necessária a apresentação do certificado (de vacinação, recuperação da doença ou teste negativo), desde setembro. Pelo novo decreto, é ainda obrigatório comprovar a identidade juntamente com o passe sanitário.

As autoridades destacam que estabelecimentos fechados que recebem clientes precisarão sinalizar a capacidade de lotação da área, onde deverá ser sempre respeitado o distanciamento social. 

Para conter o avanço da pandemia, os eventos – incluindo cerimônias de casamento – estão proibidos, com exceção de reuniões entre membros da mesma família ou de pessoas que dividem moradia. Casas noturnas continuam impedidas de funcionar.

Eventos esportivos e cultos religiosos estão autorizados, contanto que todos os participantes devem apresentar o certificado de Covid-19 e manter o distanciamento. Especialmente as atividades culturais e de esporte só poderão acontecer em locais com assentos fixos, onde haja um espaço vago entre duas cadeiras. O uso de máscaras é compulsório. 

No pronunciamento, o diretor do Instituto Nacional de Saúde pública do país, Milan Krek, afirmou que a adoção de novas medidas pretende evitar a sobrecarga nos hospitais e um futuro confinamento, diante do rápido crescimento no número de casos de coronavírus nas últimas semanas: “Vamos nos unir contra o vírus para preservar a saúde, permitir que as escolas permaneçam abertas e manter um sistema de saúde funcionando”, explicou.

De acordo com o mais recente relatório sanitário, foram confirmados 3.662 novos positivos no território esloveno. O número é 22 vezes maior que o registrado no mesmo período da semana passada. Dados oficiais apontam que 748 pacientes estão internados com a doença, sendo 175 em unidades de tratamento intensivo.

Exigência de testes nas escolas será ampliada

O anúncio deste final de semana inclui medidas mais rigorosas para os estudantes na Eslovênia. De acordo com o decreto, que entra em vigor no dia 15 de novembro, crianças e jovens a partir dos 12 anos que não tenham sido vacinados, deverão ser testados três vezes por semana. A regra anterior exigia o teste duas vezes por semana. 

O governo anunciou que vai financiar os custos, disponibilizando para cada aluno 15 testes por mês.

Compartilhar