Visitas gratuitas a quase 30 palácios de Madri começam nesta quinta

Palácio de Liria, construído em 1773, é um dos locais abertos para visitação gratuita. Foto: Fundação Casa de Alba/Divulgação

Em um convite para a população mergulhar na história e conhecer de perto o patrimônio cultural da Comunidade de Madri, 28 palácios da região podem ser visitados gratuitamente pelos próximos 45 dias. O projeto “¡Bienvenidos a palacio!” (Bem-vindos ao palácio!, em tradução livre) está na nona edição e, neste ano, oferece 10.500 ingressos para visitas que podem ser agendadas entre esta quinta-feira (15) e o dia 30 de novembro. As reservas podem ser feitas de maneira online.

Entre os locais, estão espaços públicos atualmente utilizados com diversas finalidades, incluindo museus, embaixadas localizadas em Madri, ministérios, entre outras. Segundo as autoridades municipais, a seleção levou em consideração imóveis que conservam características arquitetônicas e ornamentais originais, incluindo também alguns palácios que não participavam do programa desde 2014 e 2015. Normalmente, o acesso a esses locais é exclusivo, o que abre, portanto, a possibilidade de explorar o desconhecido:

¡Bienvenidos a palacio! é uma amostra da história de Madri, desde o estabelecimento da corte no século XVI, quando a cidade se tornou um conglomerado de famílias nobres, ao florescimento de autênticos bairros aristocráticos no século XIX”, explica a organização do projeto. Nessa época, a alta burguesia vivia um momento de enriquecimento financeiro, potencializado por bancos, comércio e ferrovias, e os palácios eram um símbolo externo do status social das famílias que viviam na cidade.

O renomado Palácio de Liria, onde fica a Fundação Casa de Alba, teve a construção iniciada na segunda metade do século XVIII e é um dos que estará aberto para visitação. O local abriga um dos conjuntos artísticos mais importantes conservados na Espanha, composto por obras de Goya, Velázquez, Zurbarán, Rubens, Murillo, Greco e Tiziano. Outro imóvel é o Palácio do Duque Fernán Núñez, um dos mais bem conservados da região. Situado na Calle Santa Isabel, atualmente o edifício pertence à Adif e à Renfe e é sede da Fundação Ferroviária Espanhola (veja a lista completa de palácios abaixo).

De acordo com a conselheira de Cultura, Turismo e Desporto de Madri, Marta Rivera de la Cruz, mais de 67 mil pessoas participaram das oito edições anteriores. Além de visitações guiadas, em que especialistas contam como foi a evolução arquitetônica dos imóveis e explicam como os locais foram utilizados ao longo da história, também serão realizadas atividades culturais. Em anos passados, os visitantes desfrutaram de noites musicais e eventos políticos e literários.

Todas as visitas são gratuitas e direcionadas ao público adulto. As datas e horários disponíveis para agendamento dependem do local escolhido para visitação, mas estão disponíveis de segunda-feira a domingo, durante os meses de setembro e novembro. Os folhetos de cada um dos palácios podem ser baixados online.

Veja a lista de imóveis abertos para visitação

  • Palácio da Condessa de Adanero (Arquivo Central do Ministério da Política Territorial e Função Pública)
  • Palácio do Marquês de Amboage (Embaixada da Itália)
  • Palácio dos Marqueses de Argüeso (Embaixada da República Argentina)
  • Palácio Buenavista (Quartel General do Exército)
  • Castelo-Palácio da Aldovea
  • Mansão de Basílio Avial (sede da presidência do ONCE)
  • Palácio Duque de Fernán Nuñez (Fundação Ferroviária Espanhola)
  • Parque das Flores (Museu Lázaro Galdiano)
  • Palácio de Fontalba (Procuradoria Geral do Estado)
  • Palácio de Godoy (Centro de Estudos Políticos e Constitucionais).
  • Mansão dos Duques de Híjar (Embaixada de Portugal)
  • Mansão de Joaquín Sorolla (Museu Sorolla)
  • Mansão do Marquês de Rafal (residência do embaixador belga)
  • Palácio da Infanta Isabel de Borbón (Sede do Comando Aéreo Central e Sede da Primeira Região Aérea da Força Aérea)
  • Casa-Palácio de Javier González-Longoria (sede da Sociedade Geral de Autores e Editores)
  • Palácio Infante Luís de Bourbon
  • Palácio de Liria (Fundação Casa de Alba)
  • Palácio da Duquesa de Parcent (Ministério da Justiça)
  • Palácio dos Marqueses de Santa Cruz (Fundação Álvaro de Bazán)
  • Palácio de Viana (Ministério dos Negócios Estrangeiros, União Europeia e Cooperação)
  • Palácio do Marquês de Villafranca (Academia Real de Engenharia)
  • Palácio de Zurbano (Ministério de Obras Públicas)
  • Casa-Palácio de Manuel González-Longoria (Associação Notarial de Madrid)
  • Casa-Palácio de Pedro de Luján (Academia Real de Ciências Morais e Políticas)
  • Mansão de Joaquín de la Torre (sede da Embaixada da Suécia)
  • Palácio do Duque de Abrantes (sede do Instituto Italiano de Cultura)
  • Palácio de Santa Coloma (Chancelaria Consular da Embaixada da Itália)
  • Casa Grande de Torrejón de Ardoz
Compartilhar