Alemanha estende lockdown até o fim de janeiro e restringe visitas

Lockdown continua até fim de janeiro, com ainda mais restrições. Foto: Matheus Camara da Silva.

O novo ano começou com reforço das restrições para conter o avanço da pandemia em países da Europa. A Alemanha decidiu estender o lockdown no país até o final de janeiro e tornar as restrições ainda mais rígidas. A chanceler alemã Angela Merkel anunciou as novas regras em coletiva de imprensa nesta terça-feira (5), em Berlim, após reunião com governadores. Ela destacou que as variantes do coronavírus tornam a situação mais preocupante.

A partir de agora, as pessoas no território alemão devem restringir ainda mais o contato social e estão permitidas a receber apenas um convidado em casa. Outra restrição acontece por regiões. Nas áreas em que a incidência de casos esteja acima dos 200 por 100 mil habitantes, será proibido se afastar mais de 15 quilômetros da residência. A regra vale, inclusive, para passeios de apenas um dia, frisou Merkel.

O país também passará a exigir dois testes negativos de Covid-19 para pessoas que viajam de áreas consideradas de risco. O período de quarentena obrigatória será de cinco dias, mesmo que o primeiro teste tenha resultado negativo.

Leia mais:
– Boris Johnson anuncia novo lockdown e fecha escolas na Inglaterra
 Catalunha volta a fechar municípios para conter avanço da Covid-19
 Em 7 dias, Irlanda soma mais casos de Covid-19 do que nas últimas 7 semanas

As demais regras, que já estão em vigor, permanecem inalteradas. Dessa forma, trabalhar de casa é obrigatório e o comércio não essencial deve permanecer fechado. Como as creches continuam sem atendimento, a chanceler alemã anunciou que pais e mães podem ter 10 dias de férias remuneradas em caso de necessidade no cuidado às crianças. Mães ou pais solteiros possuem direito a 20 dias.  As escolas e universidades também seguem fechadas.

A decisão ocorre no dia em que o país perdeu 944 pessoas para a vírus, além de ter registrado 11.897 casos positivos de Covid-19 em 24 horas, conforme dados do Instituto Robert Koch.

Proibidas viagens na Itália

Além da Alemanha, outros países continuarão com restrições em janeiro. Na Itália, após os feriados com confinamento, o governo decidiu proibir, até o dia 15 deste mês, todas as viagens entre regiões ou províncias. Além disso, voltaram a ser aplicadas restrições por uma tabela de cores, sendo que a partir do dia 9, todo o território entrará na zona “laranja”, que prevê toque de recolher noturno. Os restaurantes só podem operar em serviço de takeaway.

A Itália soma mais de 2,1 milhões de casos da doença e 76.329 mortes, conforme os últimos dados oficiais das autoridades de saúde italianas. Estão nos hospitais do país 23.395 pacientes com coronavírus.

Restrições na Noruega

Outro país que adotou restrições nesta semana foi a Noruega. Foi proibida a venda de bebidas alcoólicas em restaurantes e eventos em todo o território.

Além disso, as aulas das universidades irão permanecer à distância pelo menos até 18 de janeiro. As festas foram reduzidas para cinco pessoas que não morem na mesma residência. Os demais eventos em locais fechados podem ter somente 10 participantes. O governo recomenda, ainda, trabalhar de casa sempre que possível.

Segundo a primeira-ministra da Noruega, Erna Solberg, é preciso haver um esforço coletivo. “Peço agora que todos se juntem em um esforço para evitar uma nova onda de infecções”, afirmou.

A Noruega possui um total de 50.175 casos de Covid-19 desde o início da pandemia, além de 449 mortes. Atualmente, estão hospitalizadas 2.158 pessoas, sendo que 406 estão em UTIs.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.