Longas filas e horas de espera irritam passageiros no Aeroporto de Lisboa


Dez dias após o início do plano de contingência para diminuir o tempo de espera nos aeroportos portugueses, as filas continuam demoradas no Aeroporto de Lisboa, causando transtornos aos passageiros e perda de conexões. De acordo com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), apesar do reforço de funcionários, “um pico” de três mil passageiros provocou “demoras acentuadas” no domingo (12).

A brasileira Nathália Barreto, que pouso às 9h30min de domingo na capital portuguesa, só conseguiu passar pelo controle de imigração após o meio dia. “Eu nunca vi tanta gente na fila”, contou ao Agora Europa a imigrante, que mora em Portugal desde 2018.

A turista brasileira Ellen Carvalho, que tinha uma conexão para Roma, chegou na fila da imigração de Lisboa às 10h30min de domingo e só cinco horas depois passou pelo controle: “Eu perdi minha conexão pra Itália por causa da demora, assim como outros passageiros também perderam”, relatou Ellen, que foi realocada em outro voo às 20h do mesmo dia.

Segundo o órgão, no final de semana foram controlados 50 mil viajantes em Lisboa. Os maiores tempos de espera foram registrados pela manhã. No entanto, nesta segunda-feira (13) também foram contabilizadas longas filas de espera na área de checagem de documentos dos viajantes.

O brasileiro Eduardo Moreira, que chegou na capital lusa às 10h de hoje, disse que ficou duas horas esperando: “Quando cheguei, a fila estava na entrada do arco da imigração. Foi passando um tempo e a fila ficou pior, indo quase até o corredor de desembarque”, contou o paulista de 26 anos ao Agora Europa. Nas redes sociais, há vários dias, multiplicam-se as reclamações de brasileiros sobre a demora no controle da documentação no Aeroporto de Lisboa.

Demora para análise sobre decisão de entrada em Portugal

Conforme o SEF, foi necessário reforçar, no final de semana, o atendimento dos passageiros que aguardavam uma decisão sobre a permissão de entrada no país. Os agentes detiveram três pessoas por uso de documentos falsos e recusaram sete viajantes, além de 16 passageiros que estavam fazendo escala na capital portuguesa. Foram realizados também quatro pedidos de asilo na fronteira. 

O reforço no número de funcionários nos postos de fronteira foi anunciado pelo governo português no dia 31 de maio, após vários dias de reclamações pelo tempo de espera nos aeroportos. O plano, apesar de já ter sido iniciado, só estará em pleno funcionamento no dia 4 de julho, com aumento de 102 pessoas para atendimento nos postos de controle. 

Segundo o órgão, não foram relatadas longas filas nos aeroportos de Faro, no Algarve, e do Porto, segunda maior cidade do país. Os locais receberam, respectivamente, 36 mil e 10 mil viajantes no fim de semana.

De acordo com o serviço de imigração, será colocado em prática nesta semana a ampliação do sistema automático de controle, que estará disponível aos passageiros dos Estados Unidos e Canadá. O serviço vai funcionar em todos os aeroportos do país.

O Ministério da Administração Interna não respondeu ao Agora Europa sobre uma avaliação do novo plano de contingência, apenas repassou a informação divulgada pelo SEF. A TAP, principal companhia aérea do país, destacou à reportagem que não comentaria sobre a situação dos aeroportos. Já a Ana Aeroportos, concessionária responsável pela operação, também não retornou ao contato do Agora Europa até o fechamento desta reportagem.

Compartilhar