Com 70% da população vacinada, Portugal antecipa flexibilizações


Com 70% da população vacinada contra a Covid-19 mais que o cedo previsto, o governo de Portugal antecipou a segunda etapa do plano de desconfinamento do país. Conforme anúncio realizado nesta sexta-feira (20), a partir do dia 23 de agosto, o território passa do estado de calamidade para contingência.

Com a mudança, algumas medidas serão aliviadas a partir de segunda-feira (23). Irá subir de seis para oito o número de clientes por mesa na área interna os restaurantes e de 10 para 15 na parte externa.

Os táxis e transportes de aplicativo voltarão a receber lotação máxima de passageiros. Até então, os veículos podiam levar apenas duas pessoas por viagem. Nos transportes públicos, como trens e metrô, também deixará de existir uma limitação de ocupação.

As Lojas do Cidadão voltarão com o atendimento sem marcação prévia a partir de 1° de setembro. As regras já haviam sido definidas pelo governo nesta semana.

Nos centros comerciais, a lotação passa de cinco para oito pessoas a cada 100 metros quadrados. O certificado de vacinação continua sendo válido para entrada em hotéis e restaurantes aos finais de semana, além de eventos com mais de 10 pessoas.

Inicialmente, as novas regras entrariam em vigor somente após o dia 3 de setembro, mas foram adiantadas após o país bater, na quinta-feira (19), a meta de 70% da população totalmente imunizada.

Mariana Vieira da Silva, primeira-ministra em exercício, comemorou o avanço da imunização e destacou que o país é um dos que possui a maior taxa de vacinação completa. A mesma marca foi conquistada nesta semana pela vizinha Espanha.

Fim do uso de máscaras na rua e nova etapa do plano

A atual etapa também prevê o fim do uso das máscaras nas ruas. No entanto, a liberação só pode ser feita com aprovação da Assembleia da República. A atual lei sobre o uso do equipamento de proteção segue até o dia 12 de setembro. Segundo a ministra, a decisão será tomada pelo Parlamento “no momento que considere adequado”.

Sobre a antecipação da terceira fase, marcada para outubro, Mariana Vieira Silva afirmou que pode ser “natural”, caso continue o atual ritmo de vacinação. Na próxima etapa, o governo prevê reabrir casas noturnas, mas somente para pessoas totalmente vacinadas ou testadas contra o vírus.

Compartilhar

4 Comments

Não é possível deixar seu comentário no momento.