União Europeia propõe carregador único para dispositivos eletrônicos

O Conselho Europeu propôs, nesta quinta-feira (23), que todos os 27 Estados-Membros da União Europeia (UE) adotem um único carregador para o que chamam de ‘’dispositivos eletrônicos relevantes’’. Na lista, estão aparelhos celulares, tablets, câmeras, fones de ouvido, caixas de som e videogame portáteis. 

A comissão, que tem se comprometido com a causa ambiental e sustentabilidade, ainda sugere acabar com a venda casada de dispositivos móveis e carregadores, prática comum no mercado nos dias de hoje. A medida, que pretende diminuir o atual volume de lixo eletrônico no planeta, deve reduzir a quantidade de desperdício de resíduos em quase mil toneladas anuais, conforme apontado em documento oficial.

De acordo com a proposta de lei, o carregador universal padrão, com entrada USB-C, permitirá que os consumidores utilizem o acessório em qualquer aparelho, independentemente da marca do dispositivo. A implementação de uma tecnologia avançada vai garantir o padrão de velocidade de carregamento dos eletrônicos, garantem as autoridades europeias.

Os esforços da União Europeia, juntamente com as grandes companhias do segmento desde 2009, já resultou na diminuição do número de modelos de carregadores de telefone celular de 30 para três na última década. O índice, no entanto, ainda é considerado insatisfatório para os representantes do bloco econômico, já que, segundo pesquisa, 38% dos consumidores europeus alegam ter tido problemas de compatibilidade dos acessórios, ao menos uma vez, ao tentar carregar um aparelho móvel.

Margrethe Vestager, vice-presidente executiva para uma Europa adequada à Era Digital, comemorou o avanço do conselho, hoje, em Bruxelas: ‘’Os consumidores europeus ficaram frustrados por muito tempo com carregadores incompatíveis amontoando-se em suas gavetas. Demos muito tempo à indústria para apresentar suas próprias soluções, agora é hora de uma ação legislativa para um carregador comum’’, justificou.

Quando os carregadores universais vão ser comercializados?

A proposta de lei deve agora ser revisada pela Diretriz de Equipamentos e, em seguida, adotada pelo Parlamento Europeu e pelo Conselho por processo legislativo ordinário, o que significa que ambos precisam entrar em consenso com relação aos detalhes apresentados no projeto de legislação. No documento, está previsto para as empresas um período de transição de 24 meses, a contar da data de aprovação da lei, para viabilizar e comercializar o carregador único para todos os dispositivos eletrônicos. 

Compartilhar