Suécia vai oferecer até 600 euros para ajudar famílias com conta de luz alta

O governo da Suécia lançou, nesta quarta-feira (12), um programa financeiro que vai auxiliar as famílias atingidas pelo aumento da energia elétrica no país. O pacote, no valor total de 585 milhões de euros (seis bilhões de coroas suecas), vai beneficiar 1.8 milhão de famílias, o que equivale a 37% da população sueca. 

De acordo com o Ministério das Finanças, serão contempladas as pessoas que tiverem o consumo de até 2000 kW por mês. O benefício será oferecido por três meses e os depósitos podem chegar a 200 euros cada, cobrindo as despesas referentes a dezembro, janeiro e fevereiro. 

‘’O governo leva essa situação muito a sério e, portanto, destina seis bilhões para compensar as famílias que receberam contas de energia altas. É uma medida excepcional, em um tempo excepcional’’, justificou Mikael Damberg, ministro das Finanças do país. 

O apoio, segundo o governo, deve aliviar o orçamento das famílias que tiveram contas de luz mais caras durante o outono e inverno, em função do aumento dos preços dos combustíveis fósseis, especialmente do gás natural. O subsídio, que pode chegar a até 600 euros no total por família, será oferecido a moradores de todas as regiões da Suécia. Não foi comunicada a data para o início dos depósitos, mas, conforme informação oficial, as autoridades trabalham para que isso ocorra ”o mais rápido possível”.  Ainda segundo a nota, não será necessária nenhuma inscrição específica para receber a compensação, uma vez que o valor do auxílio será determinado em conjunto pelo governo e pelas companhias que fornecem energia elétrica no país.

De acordo com o mais recente relatório do Gabinete de Estatísticas da União Europeia (Eurostat, sigla em inglês), 16 dos 27 Estados-Membros registraram alta nos custos de energia elétrica nos primeiro seis meses de 2021 em comparação ao mesmo período em 2020. No segundo semestre do ano passado, a crise energética foi especialmente agravada por problemas de suprimento de gás natural no continente, muito utilizado para o aquecimento nas residências. Os números referentes à segunda metade de 2021 ainda não foram divulgados pela Eurostat.

Compartilhar