República Tcheca proíbe acesso de não vacinados a restaurantes e bares

O governo da República Tcheca anunciou que, a partir da próxima segunda-feira (22), somente cidadãos vacinados ou recuperados da Covid-19 nos últimos seis meses poderão visitar restaurantes, bares, locais de entretenimento e participar de atividades culturais como cinemas, museus e teatros. Com a decisão, exames negativos para a doença não serão mais aceitos para garantir o acesso aos estabelecimentos.

O comunicado oficial foi divulgado nesta quinta-feira (18), após reunião extraordinária e considerou a atual situação da pandemia em todo o território. De acordo com o relatório do Ministério da Saúde mais recente, que consta informações do dia 17 de novembro, pouco mais de 14 mil novos positivos foram detectados em apenas 24h no país. A média diária de casos na última semana é de 12.500, número 37% maior do que o registrado há 14 dias. Atualmente, quatro mil pacientes estão internados com a doença em hospitais na República Tcheca.

Andrej Babiš, primeiro-ministro tcheco, definiu o contexto como “alarmante” e afirmou que pretende, com as novas medidas, controlar o alto índice de contágio e hospitalizações no país: ‘’A situação com a Covid-19 é grave, e fico feliz que, depois de tantas negociações nos últimos dois dias, tenha havido um acordo entre os especialistas e o governo’’, declarou o líder da nação.

A nova regra ainda vai limitar o acesso a cabeleireiros, hotéis e eventos culturais e desportivos somente a pessoas imunizadas ou que comprovem ter contraído coronavírus recentemente. Apenas crianças menores de 12 anos estão isentas da obrigatoriedade, assim como todos os que ainda não tiverem sido imunizados em função de recomendação médica. 

Segundo as normas que entram em vigor na próxima semana, aqueles que receberam só a primeira dose da vacina poderão entrar nos locais listados ao apresentarem teste negativo para Covid-19. Dados do Centro Europeu de Prevenção e Controle das Doenças (ECDC, sigla em inglês) apontam que 58% da população tcheca já se vacinou contra a doença. 

Eslováquia determina lockdown para não vacinados

A Eslováquia, país vizinho da República Tcheca, e que também registra números crescentes na quarta onda da pandemia que atinge o continente europeu, decidiu nesta quinta-feira (18) pelo confinamento dos cidadãos não imunizados. A nova medida entrará em vigor na próxima segunda-feira (22), e deve durar, pelo menos, três semanas, de acordo com comunicado oficial do governo.

Conforme a determinação, a população que ainda não tomou as doses da vacina só poderá ter acesso a locais de comércio essenciais, como supermercados e farmácias. Os não vacinados estão proibidos de frequentar restaurantes, centros de compras e qualquer tipo de evento.

Depois do lockdown de três semanas, uma nova avaliação epidemiológica vai determinar a possibilidade de um relaxamento das medidas para os que já completaram a vacinação ou que se recuperaram da doença: ‘’Esses dois grupos de pessoas serão favorecidos de várias maneiras. Eles não precisam ser testados para o trabalho duas vezes por semana, eles são livres para ir às lojas, não apenas ao essencial, mas também aos shoppings’’, revelou Eduard Heger, primeiro-ministro eslovaco.

Na Eslováquia, quase três mil pessoas estão hospitalizadas com Covid-19, sendo 259 em tratamento intensivo. Dos mais de sete mil novos positivos registrados nesta quinta-feira (18), quase 70% dos recém diagnosticados com a doença ainda não foi vacinado contra o coronavírus.

Compartilhar