Comissão Europeia pede que países autorizem reencontro de casais em união informal


A Comissão Europeia recomendou, nesta sexta-feira (7), que os 27 países membros do bloco aceitem o ingresso de casais não formais que foram separados pela pandemia. Em vídeo publicado no Twitter da Comissão Europeia, o porta-voz de Migração, Assuntos Internos e Cidadania e União da Segurança, Adalbert Jahnz, pediu aos países que permitam a entrada dos parceiros solteiros que possuem uma relação comprovada com residentes do continente europeu. A comissão pedirá aos países que apresentem um relatório com as informações sobre as restrições de viagem.

#LoveIsNotTourism

O vídeo foi publicado com as hashtags do movimento internacional “Amor não é turismo” (#LoveIsNotTourism), que busca mudanças nas regras dos países europeus sobre as restrições de viagens. Integrantes da iniciativa comemoram a recomendação da comissão e pressionam os países a seguirem a orientação das lideranças do bloco. O perfil oficial do movimento pede que os casais marquem na publicação os perfis dos políticos de cada país.

O tema tem sido discutido na Comissão Europeia como resultado do movimento virtual #LoveIsnotTourism. Uma petição online já conta com mais de 27 mil assinaturas. Desde o início do movimento, pelo menos sete países europeus já revisaram os critérios de acesso para casais: Áustria, Dinamarca, Noruega, Holanda, República Tcheca, Islândia e Finlândia. Nesta semana, a Alemanha também anunciou que permitirá o ingresso dos parceiros no país.

Brasileira foi impedida de visitar o parceiro na Europa por não ser formalmente casada

Foi em Tramandaí, no Rio Grande do Sul, Brasil, que a pequena Serena veio ao mundo há pouco mais de um mês, no dia 28 de junho. O parto, no entanto, realizado à domicílio por uma doula, não foi como havia sido planejado pela mãe Lua Fernandes. O nascimento, na verdade, aconteceria em Barcelona, na Espanha, onde o pai Gabriel Carturan estava aguardando a chegada definitiva do restante da família. O que o casal não esperava, porém, é que, devido à pandemia do coronavírus, as restrições de viagem impostas a residentes no Brasil não permitiram que o plano se concretizasse.

Apesar de Lua e Gabriel terem duas filhas juntos, Iyá, de dois anos, e a recém nascida Serena, o casal não consegue comprovar legalmente que são uma família, já que ainda não se casaram legalmente. Essa é uma exigência imposta pelos países da União Europeia, já que apenas viagens consideradas essenciais podem ser realizadas entre o Brasil e os países que integram o bloco. Gabriel chegou à Europa em fevereiro e ainda não conhece a filha mais nova. Desde que a Espanha começou a reabertura do país, no entanto, a atriz Lua Fernandes realizou diferentes tentativas de se mudar para Barcelona, mas nenhuma delas com sucesso.

“Muitas coisas têm sido difíceis, a saudade de todos nós, o dinheiro que vai se diluindo entre o Brasil e a Espanha, com gastos que nem pensávamos em ter. E também está muito pesado para mim o cuidado com as duas bebês. Falamos com alguns advogados e assessorias, mas todos falam não sendo casados não posso entrar (na Europa). O Consulado da Espanha no Brasil me encaminhou o decreto com as restrições”, relata Lua.

*Com a colaboração de Cristiano Goulart.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.