Itália passa a impedir não vacinados de frequentar atividades culturais

A Itália é o mais novo país europeu a impor regras rígidas contra as pessoas não vacinadas. O governo italiano anunciou, na noite desta quarta-feira (24), que o passe sanitário será válido somente para pessoas vacinadas ou recuperadas da Covid-19. 

Na prática, significa que os não imunizados ficarão impedidos de acessar uma série de locais, como a área interna de restaurantes, cinemas, casas noturnas, teatros, academias, spas, piscinas e feiras. Antes, era possível o acesso por meio de testes negativos para o coronavírus. 

A medida, chamada de “Super Green Pass”, entra em vigor no dia 6 de dezembro e se estende durante o período das festas de fim de ano, como Natal e Réveillon. A previsão inicial é que as regras terminem somente depois do dia 15 de janeiro. 

De acordo com o primeiro-ministro, Mário Draghi, as ações são necessárias para que o país “continue com a normalidade”. Em coletiva de imprensa, o líder do país pediu aos italianos que “evitem riscos e sejam capazes de manter tudo o que conquistaram”. 

Segundo a ministra de Assuntos Regionais, Mariastella Gelmini, as novas regras “protegem a saúde e mantém o país aberto, sem voltar a lockdowns”. A Itália foi um dos países europeus que teve um dos confinamentos  mais rígidos no início da pandemia de Covid-19.

Testes para todo o transporte público

Além de restringir os não vacinados de muitos locais, o governo também passará a exigir a imunização, prova de recuperação ou teste para utilizar  o transporte público no país. A obrigatoriedade, que era necessária para viagens de longa duração, agora é válida para todos os tipos de viagens, incluindo trens e metrô.

Ao mesmo tempo, o governo ampliou a vacinação obrigatória para as forças armadas, professores e demais profissionais que trabalham com pessoas em vulnerabilidade. A imunização já era exigida a todos os que atuam na área da saúde. A terceira dose da vacina, que começará a ser aplicada no país, também será compulsória para o setor.

O reforço também será estendido a toda a população, que poderá receber a nova dose cinco meses depois da segunda injeção ou da primeira, no caso da Janssen. O ministro da Saúde, Roberto Speranza, incentiva as pessoas a se vacinarem novamente para “sermos mais fortes”. O governo ainda afirma que todas as regras hoje anunciadas serão fiscalizadas pelas autoridades policiais italianas.

Toque de recolher na fronteira com a Áustria

Atualmente, 73% da população da Itália está totalmente vacinada contra a Covid-19. Nas últimas 24 horas, o país teve 4.807 novos casos de Covid-19 e 85 óbitos. Além das medidas nacionais, governadores também estão autorizados a determinarem novas restrições à população.

Na região de Tirol do Sul, desde hoje (24), a abertura das casas noturnas, atividades que envolvem dança e os eventos culturais em espaços fechados foram suspensos. Nos 20 municípios da região com maior incidência de casos, um toque de recolher foi imposto das 20h às 5h da manhã. Segundo comunicado oficial, as pessoas podem sair de casa neste horário somente por motivos de trabalho ou emergenciais.

Nos restaurantes, a lotação máxima é de quatro pessoas e as refeições podem ser servidas somente até às 18h. A região fica próximo da fronteira com a Áustria, país que voltou ao lockdown desde a última segunda-feira (24).

Compartilhar