França: empresa vai recrutar 7 mil trabalhadores até o final de 2022


A França contará com 7 mil novos empregos temporários em setores como indústria, logística e comércio até o final de 2022. As vagas estão sendo oferecidas pela companhia holandesa de recrutamento Randstad. Além disso, um acordo envolvendo 14 empresas de diversas áreas prevê a criação de outros 4 mil postos de trabalho permanentes, que serão implementados gradualmente nos próximos anos.

A Amadeus, da área de tecnologia, vai criar 400 novos empregos ainda neste ano e outros 400 em 2023. Outra empresa que anunciou novos postos de trabalho, mas sem especificar datas, é a FedEX, que terá 1,2 mil vagas para preencher nos arredores de Paris. A Accenture, que trabalha com atendimento ao cliente, anunciou 500 novos empregos na região da Bretanha, no noroeste francês, nos próximos três anos. As vagas são divulgadas diretamente nos sites das empresas.

Além da geração de empregos, as 14 empresas também anunciaram um investimento total de 6,7 bilhões de euros, que devem ser aplicados, principalmente, na construção de novas indústrias. A maior parte do valor será destinada à criação de um complexo industrial para fabricação de chips na cidade de Isère, no sudoeste do território. De acordo com Bruno Le Maire, ministro da Economia, Finanças e Atratividade Industrial e Digital, essa obra vai resultar na geração de mais de mil postos de trabalho.

“Este é o maior investimento industrial não nuclear das últimas décadas e um grande passo para nossa soberania industrial”, destacou o ministro. O complexo terá a aplicação financeira de 5,7 bilhões de euros com previsão de estar em funcionamento até o final de 2026.

Entre as empresas investindo no país, estão indústrias dos setores automotivo, naval, financeiro e aeroespecial. O governo destacou, por meio de nota, que essa diversidade confirma “a atratividade da França para novas tecnologias e setores estratégicos que contribuem para a reindustrialização do território”.

Ainda de acordo com o Ministério da Economia, os projetos vão permitir a duplicação da capacidade de produção francesa na área de tecnologias. O objetivo é que o setor tecnológico esteja “no centro” da indústria do país até 2030, como parte do plano para a reindustrialização da França.

O anúncio dos investimentos foi realizado durante o evento anual “Escolha a França” (Choose France, em inglês), ocorrido na segunda-feira (11) em Versailles. O evento, criado em 2018 pela presidência francesa, busca promover a atratividade econômica do país e incentivar o investimento internacional em todas as regiões. De acordo com os organizadores da iniciativa, de 2020 para 2021, o número de projetos apresentados subiu 24%.

Compartilhar