Temporada de turismo fracassa na Espanha e empregos desaparecem



Após o Reino Unido determinar quarentena de 15 dias para turistas que viajem à Espanha, representantes da rede hoteleira e gastronômica acumulam prejuízos e encaram um crise semelhante à de 2008. Desde março as perdas totalizam mais de 43 milhões de euros, segundo o Exceltur.

Enquanto muitos hotéis sequer abriram as portas, outros acumulam cancelamentos a partir da nova onda de surtos na Espanha. Em Barcelona, a associação do setor aponta uma ocupação de apenas 20% dos leitos. Já os restaurantes, que trabalham com capacidade reduzida pela metade, também amargam mesas vazias e um público muito aquém do normal.

Neste cenário, os tradicionais empregos no setor, como garçom, auxiliar de cozinha, camareiro e recepcionista, que muitas vezes são alternativas especialmente para imigrantes, praticamente desapareceram. As poucas vagas ofertadas em sites e aplicativos de emprego recebem milhares de aplicações, tornando a disputa muito mais concorrida que o habitual.

O setor imobiliário também amarga perdas. “Neste período teríamos ocupação completa de nossos apartamentos em bairros turísticos, mas com a pandemia a procura simplesmente desapareceu”, conta Janaina da Rosa, brasileira corretora de imóveis em Barcelona.

O governo espanhol fará um apelo nesta segunda-feira (27) ao governo britânico para que exclua da quarentena obrigatória as Ilhas Canárias e Baleares, destinos que basicamente vivem do turismo e que, até o momento, não registram surtos significativos de coronavírus.

Risco de volta ao confinamento

Já o governo da Catalunha advertiu hoje que “estamos diante dos 10 dias mais importantes do verão”. O presidente da Generalitat, Quinn Torra, afirmou que a situação em Barcelona e arredores “é muito crítica” e que, caso a cidadania não volte a adotar as medidas de prevenção para frear os novos casos será necessário “retroceder”.

A Catalunha registrou na última semana 5.487 contágios frente aos 3.485 da semana anterior. Já as UTI’s passaram de 57 para 75 pacientes em estado grave.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.