Portugal: máscaras deixam de ser obrigatórias no transporte público a partir deste sábado

A partir deste sábado (27), não é mais obrigatório utilizar máscaras no transporte público em Portugal. A medida foi publicada no Diário da República (DRE) após sanção do presidente. Além do setor de mobilidade coletiva, como metrôs, ônibus e aviões, a medida também abrange os táxis e transportes por aplicativos. Ao mesmo tempo, não será mais necessário utilizar a proteção facial em farmácias. O uso obrigatório foi mantido em hospitais e outros locais de serviços de saúde.

De acordo a ministra da Saúde, Marta Temido, a situação epidemiológica do país permite a flexibilização. Segundo o relatório mais recente, divulgado no dia 19 de agosto, foram registradas 15.214 novas infecções em uma semana em todo o território, cerca de 4,3 mil a menos do que no período anterior. Morreram 43 pessoas, 20 a menos do que o registrado na última semana de julho.

No entanto, segundo Marta Temido, cada pessoa deve fazer uma “autoavaliação do risco e proteger-se se assim for o caso”, se referindo a continuar usando a máscara mesmo sem ser obrigatório. A obrigatoriedade do equipamento de proteção nestes locais era uma das últimas medidas preventivas em vigor no território português. Atualmente, o comprovante de vacinação não é mais solicitado em nenhum tipo de estabelecimento, nem para entrar no país. 

A ministra também anunciou que o governo vai divulgar, nos próximos dias, a estratégia de reforço da vacinação contra a Covid-19. A previsão é que a aplicação das doses inicie no dia 5 de setembro. 

Alemanha vai na contramão e determina a volta do uso de máscaras

Em países como Alemanha, França e Holanda, a proteção facial deixou de ser obrigatória há meses. Na Itália, o uso é necessário até, pelo menos, 30 de setembro. No entanto, no território germânico, o governo decidiu pelo retorno ao uso das máscaras.

Conforme decisão do gabinete federal na quarta-feira (24), a partir do mês de outubro, o equipamento deverá ser condição obrigatória para acesso aos transportes de longa distância e aviões. Ao mesmo tempo, poderá ser solicitado certificado de teste para entrada em hospitais, além das máscaras.

O objetivo das autoridades de saúde alemãs é diminuir os riscos para a população vulnerável no outono e inverno, períodos em que são registrados mais casos de infecções e doenças respiratórias. A lei ainda vai permitir que os estados possam determinar medidas adicionais em caso de aumento de casos de Covid-19.

Compartilhar