Governo britânico lança pacote de medidas para apoiar e criar empregos

Plano de empregos beneficia principalmente os jovens afetados pela crise. (Foto: Valeria Boltneva)

Como a segunda parte de um projeto para a recuperação econômica do Reino Unido, o governo britânico anunciou um plano para criar e proteger empregos que prevê oportunidades para jovens, redução de 20% para 5% no imposto VAT e desconto de 50% para comer em restaurantes. O plano de empregos foi anunciado nesta quarta-feira (8), em Londres, pelo chanceler do Tesouro britânico, Rishi Sunak.

O objetivo do plano é apoiar empregos em todas as partes do país e dar confiança às empresas para que elas possam manter empregados e contratar. Além disso, a ideia é também apoiar jovens entre 16 e 24 anos, que estão entre os mais atingidos pela crise, na busca por oportunidades de trabalho.

Segundo o chanceler Rishi Sunak, o plano de £160 bilhões “protege os empregos das pessoas, as receitas e os negócios”. Após essa segunda fase, ainda haverá uma terceira fase para a retomada da economia no Reino Unido.

Veja os principais pontos abordados pelo plano de empregos:

Desconto em refeições

As medidas apresentadas englobam um novo esquema de descontos chamado “Eat Out to Help Out” que proporcionará desconto de 50% para refeições em pubs, cafés e restaurantes em todo o Reino Unido, de segunda a quarta-feira, em agosto. O desconto pode ser aplicado em alimentos e refrigerantes, mas não vale para bebidas alcoólicas.

A ideia é  incentivar as pessoas a voltarem a comer fora com segurança e apoiar os setores de turismo e hospitalidade que são grandes empregadores no Reino Unido.

Redução de impostos

A taxa do VAT (Value Added Tax) aplicada na maioria das atividades relacionadas ao turismo e à hospitalidade também será reduzida de 20% para 5% por seis meses – a contar a partir de 15 de julho. Isso deve gerar, entre outras medidas, uma economia média de £160 por ano às famílias.

Também haverá desconto no imposto relacionado aos custos iniciais na compra de terrenos ou propriedades. A economia poderá girar em torno de £15 mil para negócios feitos na Inglaterra e na Irlanda do Norte.

Apoio a empregos

O governo britânico também disponibilizará aos empregadores um bônus de £1 mil para cada funcionário que ainda estiver empregado em 31 de janeiro de 2021.

A medida visa ajudar empresas a manter contratados os trabalhadores que estão no sistema de licença (furlough) devido ao coronavírus.

Suporte aos jovens

Será lançado ainda um novo esquema de £2 bilhões para criação de empregos totalmente subsidiados para jovens. Direcionado para pessoas de 16 a 24 anos, em risco de desemprego e que reivindicam o benefício de crédito universal (Universal Credit), o financiamento será disponível para cada vaga de emprego de seis meses e cobrirá 100% do salário mínimo nacional por 25 horas por semana.

Além disso, £1,6 bilhões será investido na ampliação de esquemas de apoio ao emprego, treinamento e aprendizado para ajudar jovens que estão em busca de uma oportunidade no mercado de trabalho.

Criação de empregos

O plano também criará empregos com investimentos em novos projetos de infraestrutura, descarbonização e manutenção, o que inclui pacote de investimentos para apoiar empregos – denominados “green jobs” -, melhorar edifícios e reduzir emissões.

Entre outras medidas, proprietários de imóveis na Inglaterra poderão solicitar vouchers para pagar por melhorias ecológicas que poderiam resultar, por exemplo, em economia em contas de energia.

No dia 30 de junho, um plano de recuperação pós-coronavírus, apelidado de “New Deal”, foi anunciado para apoiar projetos de infraestrutura em busca de uma retomada econômica.

Leia também
Reino Unido anuncia “corredores de viagem”, mas deixa Brasil e Portugal de fora 
Europa: veja os números atuais da pandemia nos 20 países mais turísticos

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.