Polônia inicia ano letivo de forma presencial nesta quarta-feira

Seguindo protocolos do Ministério da Saúde, os alunos iniciam o período 2021/22 de maneira integral e presencial.
Foto: Canva

A Polônia vai retornar as aulas presenciais em jardins e escolas de ensino básico do país a partir de hoje (1°). O país inicia nesta quarta-feira o ano letivo 2021-2022. A expectativa do Ministro da Educação e Ciência, Przemysław Czarnek, é de que os alunos consigam permanecer nas instituições de ensino mesmo com a pandemia do coronavírus. Para a competência de 2019/20, 4.9 milhões de crianças e jovens se matricularam na educação básica, representando 12,7% da população do país.

Embora a Polônia se prepare para a quarta onda do vírus, os alunos poderão retornar as aulas seguindo os novos protocolos preparados pelo Ministério da Saúde. Durante o mês de agosto, as escolas receberam materiais de proteção individual para os professores e funcionários, como termômetros, máscaras e álcool gel. Segundo o governo local, 70% dos professores já estão vacinados contra a Covid-19.

A partir da terceira semana de setembro, as escolas poderão ser pontos de vacinação para alunos com mais de 12 anos de idade, de acordo com a demanda de cada instituição. Palestras informativas devem ser apresentadas aos pais, que precisam consentir com a imunização.

Os diretores de cada instituição serão também responsáveis por estabelecer os protocolos, caso haja contaminação entre os alunos. Quarentenas poderão ser necessárias para a turma que apresentar casos, ou o retorno às aulas híbridas, mesclando aulas virtuais e presenciais.

O uso da máscara será obrigatório nas áreas comuns e nos intervalos das aulas. Segundo o presidente do país, Andrzej Duda, a vacinação deve ser incentivada no território polonês, mas o político descarta qualquer obrigatoriedade no assunto: “Acredito que você deva conversar com os pais sobre isso nas escolas. No entanto, sem aplicar soluções forçadas nesse domínio. Precisamos disponibilizar as vacinas para todos que quiserem, esse é o dever das autoridades”, ressaltou na reunião ministerial que antecedeu o retorno as aulas na última segunda-feira (30).

Novos projetos para os alunos

Descrevendo o próximo ano letivo como o retorno à “normalidade”, o Governo da Polônia também apresentou projetos para tentar amenizar os efeitos da pandemia na Educação. Ao todo, serão destinados PLN 42 milhões (9,2 milhões de euros) para o retorno ativo dos estudantes às escolas. Os recursos também devem ser usados para a contratação de mais professores de educação física, instalações de academias e parques esportivos para combater a obesidade infantil e incentivar a prática de esportes, reduzida durante a pandemia.

Além disso, outra vertente destinará PLN 15 milhões (3,3 milhões de euros) para oferecer apoio psicológico aos alunos. Dados antes da pandemia, compilados pelo Escritório de Auditoria Supremo (Najwyższa Izba Kontroli, em polonês), mostram que há apenas 482 psiquiatras infantis em todo o país para uma estimativa de 630 mil crianças que necessitam de atendimento.

Considerando ainda as atuais restrições de viagens, o Ministério da Educação e Ciência vai incentivar que os passeios escolares sejam destinados a pontos turísticos poloneses. Com outros PLN 15 milhões disponíveis para subsidiar os custos dos deslocamentos.

Compartilhar