Aumento de casos de Covid-19 marca início de quarta onda na Polônia

Ultrapassando novamente a marca de 1.200 casos diários, o país entra na sua quarta onda de contaminações por Covid-19.
Foto: Canva

Com o aumento constante de infecções por Covid-19, o Ministério da Saúde polonês decretou o início da quarta onda de contaminações no país. Nas últimas 24h, foram registrados 1.234 novos casos da doença e 22 mortes. A última vez que o país atingiu a marca de mil diagnósticos positivos em apenas um dia, foi em 26 de maio de 2021, com 1.202 infectados.

Segundo o ministro da Saúde, Adam Niedzielski, os números estão dentro das projeções do governo, que descarta novas restrições no momento. “Esses números não são, do meu ponto de vista, níveis de risco para a eficiência do sistema de saúde a ponto de tomar decisões drásticas. Analisaremos também as internações, não apenas o número de infecções”, destacou Niedzielski, ao apresentar os dados atualizados.

Atualmente, 1.566 pacientes com Covid-19 estão internados em hospitais da Polônia, sendo que 174 apresentam estado grave e necessitam do auxílio de respiradores. As autoridades estimam que, no final de outubro, o país atinja novamente a marca de cinco mil casos por dia.

Terceira dose reforça a vacinação

Para combater o vírus, a Polônia disponibilizou a terceira dose do imunizante da Pfizer para uma parte da população. Trabalhadores da área da saúde, pessoas com imunodeficiências, em tratamentos oncológicos, ou recentemente transplantados podem receber o reforço da vacina desde o início de setembro.

Na última semana, o governo ampliou o serviço para todos acima dos 50 anos que tiverem interesse. O número de cidadãos totalmente vacinados no país é de 19.386.695, o equivalente a 50,5% da população polonesa.

Regras e restrições mantidas

As atuais medidas restritivas referentes a pandemia de Covid-19 foram estendidas até o dia 31 de outubro. A mais recente atualização das normas, publicada no dia 31 de agosto, decretou a obrigatoriedade do uso de máscara em locais fechados, e determinou que celebrações religiosas, museus, cinemas e teatros não ultrapassem o limite de 75% da capacidade total de ocupação. Eventos particulares podem receber até 150 pessoas.

A quarentena segue sendo obrigatória para quem esteve em contato com o vírus e para viajantes não vacinados ou sem comprovação negativa de contaminação. As restrições e protocolos completos referente a entrada no país podem ser verificadas no site do governo.

Compartilhar