Itália libera entrada de visitantes do Brasil para reunião familiar


Erramos: O Agora Europa noticiou incorretamente, no último domingo (24), que a Itália havia liberado as viagens de turistas do Brasil. A falha deveu-se ao nosso equívoco de interpretação em relação a um documento oficial do governo italiano. Desta forma, hoje (25), após novo contato da nossa equipe às autoridades da Itália, procedemos com a publicação das últimas informações sobre o tema. Pedimos desculpas pelo ocorrido e reforçamos nossos critérios de revisão dos materiais sempre apurados pelas nossas equipes em toda Europa.

A partir desta terça-feira (26), viajantes do Brasil que tenham “uma relação afetiva comprovada e estável” com residentes na Itália poderão visitar o país. A medida faz parte de uma flexibilização para os passageiros do território brasileiro, mas que ainda não inclui a liberação de turistas.

Segundo as regras oficiais do governo, atualizadas na tarde desta segunda-feira (25), podem entrar no país “pessoas que tenham uma relação afetiva comprovada e estável (mesmo que não coabitando) com cidadãos italianos, União Europeia (UE) ou Espaço Schengen ou com estrangeiros que residem legalmente no país”. 

Também é permitida a entrada de cidadãos italianos, do bloco europeu ou do Espaço Schengen, dos residentes de longa duração e seus familiares, conforme a legislação da UE, que tenham estado no Brasil nos últimos 14 dias.

Além destas situações, a Itália libera a viagem dos cidadãos, sem necessidade de autorização prévia do Ministério da Saúde, em casos considerados essenciais. De acordo com a lista oficial, os motivos são: trabalho, saúde, estudo, urgência absoluta ou volta para casa ou residência. Antes da mudança que inicia nesta terça-feira (26), as restrições para brasileiros eram ainda maiores, com permissões apenas em casos restritos, como estudo e encontro de filhos menores.

Regras

Os passageiros autorizados precisam cumprir uma série de regras para entrada no território italiano. É necessário, antes da viagem, preencher um formulário de localização de passageiros, disponível no site do governo. Nas 72 horas anteriores à chegada ao país, é obrigatório realizar um exame, PCR ou antígeno, com resultado negativo. 

Ao ingressar na Itália, o viajante deve “comunicar imediatamente” o Departamento de Prevenção da autoridade sanitária local de cada região. Para chegar ao endereço final, o passageiro só pode utilizar um veículo particular.

Por fim, é obrigatória a quarentena de 10 dias no endereço indicado no formulário de passageiros. Ao final do período, é necessário fazer um novo teste para a Covid-19. As regras são válidas até o dia 15 de dezembro.

Compartilhar