Certificado Covid-19 entra em vigor para cinemas e museus na França

Uma nova fase de expansão do certificado Covid-19 (ou passe sanitário) passa a vigorar em todo o território francês, a partir desta quarta-feira (21). Agora, para ingressar em museus, cinemas, salas de espetáculos ou eventos esportivos onde 50 pessoas ou mais estejam reunidas, será obrigatório apresentar o documento em papel ou em formato digital.

O certificado pode ser uma prova de vacinação, um teste PCR ou de antígeno com resultado negativo de menos de 48 horas ou um atestado de recuperação da Covid-19 de menos de seis meses. O documento passou a valer na França no dia 9 de junho, mas ganhou força nas últimas duas semanas, após os anúncios do presidente Emmanuel Macron para conter o avanço da variante Delta e uma possível quarta onda da doença no país.

A alteração do decreto de junho, realizada na última segunda-feira (19), especifica a obrigatoriedade do certificado Covid-19 em estabelecimentos de “atividades culturais, desportivas, recreativas ou festivas e feiras ou salões profissionais”. A determinação, no entanto, retira a obrigatoriedade do uso de máscara nos locais sob o controle do passe sanitário, mas deixa a decisão para os dirigentes regionais e organizadores dos eventos “quando as circunstâncias locais o justificarem”, explica.

A próxima expansão do uso do documento está agendada para o início de agosto, quando o certificado passará a ser obrigatório para ingressar em restaurantes, cafés e centros comerciais. “Nossa escolha é simples: colocar restrições aos não vacinados, e não a todos. Este é o sentido do passe sanitário que será estendido”, frisou o presidente Macron pelo Twitter.

Variante Delta impulsiona explosão de novos casos

A França vive a terceira semana seguida de aumento de casos de Covid-19 impulsionado pela variante Delta. Nesta terça-feira (20), o país registrou mais de 18 mil novos casos da doença, um aumento de 150% em relação aos números da última semana. “150% em uma semana, nós jamais vivemos isso, nem com a Covid (cepa tradicional do vírus), nem com a variante inglesa, nem com a Sul-africana, nem com a brasileira”, alertou o Ministro da Saúde, Olivier Véran, frente à Assembleia Nacional nesta terça-feira (20).

Hoje, novamente, diante dos deputados franceses, Véran revelou um novo aumento de casos: quase 21 mil novas confirmações da doença e alertou para um possível “pico epidêmico no final do verão”, que poderia sobrecarregar os serviços hospitalares caso o governo não começasse a agir. A França contabilizou 33 novas mortes pela doença nas últimas 24 horas. No total, 111.554 pessoas morreram em decorrência do coronavírus no país.

Compartilhar

1 Comment

Não é possível deixar seu comentário no momento.