Bélgica fecha cinemas e restringe eventos por variante de Covid-19

A partir deste domingo (26), deixam de funcionar os cinemas, congressos, de festas e recreação que operam em locais fechados na Bélgica. A medida, de acordo com a atualização do governo, vai atingir ainda os mercados de Natal e as vilas de inverno, atrações muito visitadas em todo o território belga nesta época. O decreto, no entanto, libera o funcionamento de bibliotecas, museus, academias e saunas, além da permissão para a realização de casamentos e funerais.

Inicialmente, também havia sido determinado o fechamento dos espaços de cultura, incluindo os teatros. No entanto, o Conselho de Estado suspendeu a regra no dia 28 de dezembro, com a justificativa de que as atividades organizadas pelo setor não podem ser consideradas perigosas para a saúde da população.

A adoção das novas normas pretende conter a rápida propagação da variante Ômicron da Covid-19, que já corresponde a 27% das contaminações pela doença no país. Segundo as autoridades de saúde, a mutação é ‘’muito mais contagiosa que as anteriores, e deve ser a variante dominante no país até o início de 2022’’.

Somadas às restrições aos estabelecimentos comerciais em ambientes internos e à proibição aplicada aos eventos públicos, permanecem em vigor a obrigatoriedade do uso de máscara a partir dos seis anos, trabalho remoto e o fechamento dos estabelecimentos do setor de hospitalidade e gastronomia até às 23 horas. As casas noturnas estão impedidas de funcionar.

No que diz respeito aos eventos ao ar livre, são impostas regras que limitam a ocupação do espaço a fim de garantir o distanciamento social. Agora, será permitido apenas um visitante a cada 4m² nessas ocasiões. Para eventos acima de 100 participantes, deverão ser disponibilizados pontos distintos para a entrada e saída dos visitantes. Durante o período do decreto, as competições esportivas poderão ocorrer; porém, sem espectadores. 

Ainda conforme as novas normas, nos centros de compras, só serão admitidos grupos limitados de duas pessoas (a contar a partir de maiores de idade que não dividem a mesma residência). Nesses locais, deverá ser observado o distanciamento social. Segundo o comunicado oficial, uma avaliação da situação epidemiológica deverá ser realizada até a metade de janeiro de 2022.

De acordo com o último relatório divulgado pelo governo belga, mais de duas mil pessoas estão internadas no país com a Covid-19. Entre os pacientes, 650 ocupam as unidades de tratamento intensivo. Apesar da introdução de medidas mais rigorosas a partir de hoje para conter a variante Ômicron, os números da pandemia desta última semana na Bélgica apontam para a diminuição dos índices de contaminação por coronavírus em 36% e de hospitalização em 32%. 

Apelo para a terceira dose

O governo belga faz ainda um apelo aos residentes do país para que reforcem a imunização diante do crescimento de novos casos de Ômicron pelo território. As autoridades justificam que a dose de reforço é capaz de oferecer proteção adicional contra a mutação da Covid-19, considerada altamente transmissível pelos especialistas em saúde. 

Quase 40% das pessoas acima dos 18 anos já receberam a terceira dose na Bélgica. Conforme o plano do Ministério da Saúde, todos os adultos elegíveis devem ter a oportunidade de realizar o reforço na imunização até o final de janeiro. De acordo com dados oficiais, pelo menos 76% da população belga concluiu o esquema de vacinação. 

Compartilhar