Reino Unido suspende vacina AstraZeneca para menores de 30 anos

Anúncio acontece depois que 79 pessoas sofreram coágulos sanguíneos após receberem a primeira dose da vacina. Foto: Canva

Menores de 30 anos não receberão mais a vacina Oxford-AstraZeneca no Reino Unido, mas serão imunizados com vacinas alternativas como a Pfizer-BioNTech e a Moderna. O anúncio acontece depois que uma revisão científica da Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde (MHRA, em inglês) concluiu que 79 pessoas sofreram raros coágulos sanguíneos após receberem a primeira dose do imunizante, sendo que 19 delas morreram.

O regulador concluiu que há uma possível relação entre a vacina contra Covid-19 criada em Oxford e os coágulos sanguíneos que são “extremamente raros e improváveis de ocorrer”. Em função disso, a recomendação é de que também sejam feitas considerações cuidadosas às pessoas que apresentam maior risco de tipos específicos de coágulos sanguíneos devido à sua condição médica.

No entanto, a MHRA afirma que os benefícios da vacinação continuam a superar quaisquer riscos. Além disso, qualquer pessoa que não tenha esses efeitos colaterais deve se apresentar para a segunda dose quando for convidada.

“O risco desse raro efeito colateral suspeito permanece extremamente pequeno”, disse a doutora June Raine, chefe-executiva da MHRA, durante conferência nesta quarta-feira (7), em Londres.

Os casos de coagulação sanguínea ocorreram em 51 mulheres e 28 homens, com idades entre 18 e 79 anos, todos após a primeira dose da Oxford-AstraZeneca. Dos que vieram a óbito, 13 eram mulheres e seis eram homens. Além disso, 11 das 19 pessoas que morreram tinham menos de 50 anos – três das quais tinham menos de 30 anos.

Mais de 20 milhões de doses da vacina Oxford-AstraZeneca já foram administradas no Reino Unido, o que significa que o risco geral desses coágulos sanguíneos é de aproximadamente quatro pessoas em um milhão que recebem a vacina.

Conforme a MHRA, a revisão completa nos relatórios do Reino Unido aborda um tipo específico de coágulo sanguíneo no cérebro muito raro e improvável de ocorrer, conhecido como trombose do seio venoso cerebral (CVST, em inglês), ocorrendo junto com baixos níveis de plaquetas (trombocitopenia) após a vacinação com o imunizante Oxford-AstraZeneca. Isso não foi registrado nas pessoas que receberam outras vacinas.

O vice-diretor médico do governo da Inglaterra, professor Jonathan Van-Tam, disse que a mudança é uma “correção de curso” e não deve ter grandes impactos na campanha de vacinação. A estimativa é de que toda a população adulta seja imunizada até julho no Reino Unido.

Leia mais:
– Pandemia: OMS considera ritmo de vacinação na Europa “inaceitavelmente lento”
 Inglaterra confirma reabertura de pubs e restaurantes para a próxima semana

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *