Reino Unido detecta seis casos da variante brasileira de Covid-19

Foi a primeira vez que o Reino Unido identificou casos da variante brasileira do vírus.
Foto: Canva


O Reino Unido anunciou, neste domingo (28), que identificou seis casos da nova variante brasileira da Covid-19. A informação foi publicada em relatório da Saúde Pública da Inglaterra (PHE, sigla em inglês). São os primeiros casos da nova estirpe do coronavírus em território britânico. Três deles foram detectados na Inglaterra e outros três, na Escócia. Ambos os governos a classificam como “variante de preocupação”.

As pessoas infectadas possuem históricos de viagens ao Brasil. Dois pacientes já foram testados mais de uma vez na Inglaterra, bem como seus contatos próximos. Um terceiro diagnosticado está sendo procurado, uma vez que não preencheu os dados no cartão de teste.

As autoridades de saúde estão monitorando todos os passageiros que viajaram do Brasil para Londres no dia 10 de fevereiro, em voo via Zurique, na Suíça: “Qualquer pessoa que retornou ao Reino Unido naquela época deveria ter ido para casa imediatamente do aeroporto e isolado por 10 dias”, explicam.

O PHE pede aos passageiros do voo que não foram contactados para ligarem no número 01174 503 174. O Governo britânico oferece exames e orientações ao viajante e aos contatos domiciliares.

Para evitar a propagação da nova estirpe, serão reforçados os testes rápidos para a população de South Gloucestershire, onde casos foram identificados.

Escócia

Os outros três casos da variante brasileira identificados na Escócia são de residentes escoceses que viajaram ao Brasil recentemente. Segundo comunicado das autoridades, os passageiros utilizaram voos via Paris e Londres:

“Devido às potenciais preocupações em torno desta variante, outros passageiros do voo usado pelos três indivíduos de Londres para Aberdeen estão sendo contatados”, refere o Governo da Escócia.

As equipes de saúde também irão contactar todas as pessoas que estiverem recentemente com os diagnosticados, para oferecer mais segurança: “Isso é para garantir que todas as precauções possíveis sejam tomadas enquanto aprendemos mais sobre esta variante em particular”, destaca o comunicado.

Segundo a secretária de Saúde Jeane Freeman, é importante minimizar a expansão da estirpe brasileira: “Esta nova variante demonstra a seriedade da Covid e reforça a necessidade de minimizar a propagação do vírus”, ressaltou Freeman.

Ainda de acordo com os comunicados de ambos os governos, é realizado um trabalho conjunto entre Escócia e Inglaterra no gerenciamento dos casos relacionados às novas variantes.

Quarentena

Atualmente, qualquer pessoa que chega na Inglaterra oriunda do Brasil precisa ficar isolada em um hotel por 10 dias. O custo da quarentena obrigatória é de 1.750 libras, o equivalente a aproximadamente dois mil euros ou 13.650 reais.

A medida entrou em vigor no dia 15 de fevereiro, poucos dias depois que os passageiros diagnosticados viajaram do Brasil ao Reino Unido. O secretário de oposição Nick Thomas Symonds demonstrou preocupação com a demora para implementação da quarentena:

“Esta é uma notícia ainda mais preocupante de variantes de Covid-19 chegando ao Reino Unido. Isso mostra por que o atraso na introdução da quarentena em hotéis foi tão imprudente”, escreveu.

Além do isolamento obrigatório, é necessária a realização de dois testes. As novas medidas somam-se às já existentes, que incluem a recusa de entrada de não residentes no Reino Unido vindos de países com alto risco de contaminação. O Governo britânico também fixou multas que podem chegar a 10 mil libras para quem descumprir as regras.

Países europeus com a nova variante do Brasil

O Reino Unido se soma à lista de países europeus que já possuem casos da nova  variante brasileira de Covid-19. A doença já foi identificada na França, Alemanha, Itália, Holanda, Espanha, Irlanda e Portugal. Como forma de prevenção, os países decretaram restrições nos voos, que vão desde a proibição total, como é o caso de Portugal, ou entrada limitada de residentes e exigência de quarentena, como determina a Espanha.

Leia mais:
– Um em cada dez infectados relata sintomas de Covid-19 após três meses
 Portugal: vistos de residência para imigrantes caem 45% em um ano

– Polícia desarticula rede que explorava trabalhadores imigrantes na Europa

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *