Inglaterra retira quarentena de vacinados com CoronaVac


A partir do dia 22 de novembro, passageiros vacinados com CoronaVac que viajam para a Inglaterra serão dispensados da quarentena. O governo anunciou que irá reconhecer a lista de vacinas para uso emergencial da Organização Mundial da Saúde (OMS), o que motiva a mudança na regra. Conforme comunicado oficial, qualquer viajante que recebeu as duas doses das vacinas CoronaVac (Sinovac), Sinopharm e Covaxin não precisarão mais cumprir 10 dias de quarentena.

Até então, a Inglaterra não reconhecia os imunizados com estas vacinas como “completamente protegidos” e, por isso, exigiam o isolamento e dois testes para a Covid-10 durante a quarentena. As pessoas que chegam ao território antes do dia 22 de novembro ainda precisam essas regras.

Após essa data, os vacinados no Brasil serão reconhecidos como qualquer indivíduo inglês vacinado dentro do país, contanto que tenham recebido os imunizantes produzidos pela Oxford/Astrazeneca, Pfizer/BionTech, Moderna, Janssen, Sinovac (adotada no Brasil com o nome CoronaVac, produzida em parceria com o Instituto Butantan), Sinopharm ou Coxavin.

Para os viajantes acima dos 12 anos, continua a obrigatoriedade de apresentar um teste PCR negativo ao chegar a Inglaterra, além do comprovante de vacinação com ao menos duas semanas desde a última dose e preencher o formulário de localização de passageiros. Após a entrada no país ainda será necessário fazer um teste rápido no segundo dia da viagem.

Quem foi vacinado no Brasil poderá comprovar a imunização com o certificado emitido pelo Ministério da Saúde. O documento deve estar em inglês ou espanhol. É necessário que o certificado contenha de maneira específica o nome completo do viajante, data de nascimento, marca e fabricante da vacina, data de imunização de cada uma das doses, país ou território em que a vacina foi aplicada.

No caso de pessoas não imunizadas, que receberam apenas uma dose ou duas doses de vacinas que não aparecem na lista da OMS, não são considerados “totalmente vacinados” pelo governo inglês e precisam cumprir regras específicas.  Ao chegar no território devem apresentar teste PCR realizado até 72h antes do embarque, fazer dois testes para o vírus (no dia dois e no dia oito) após a chegada, preencher o formulário de localização de passageiros e cumprir quarentena em casa ou outro local durante 10 dias. 

Desde que o Brasil foi retirado da “lista vermelha”, todos os passageiros que cumpram as regras sanitárias, independentemente do motivo da viagem, podem entrar no país. Antes, apenas cidadãos britânicos, ou estrangeiros residentes, podiam passar pela fronteira.

A decisão, no entanto, vale apenas para a Inglaterra. Os outros países que integram o Reino Unido têm autonomia para decidir sobre seus visitantes. A Escócia, País de Gales e a Irlanda do Norte ainda mantêm o Brasil em listas de países restritos com regras específicas.

Compartilhar