Reino Unido vai ajudar 28 milhões de famílias a pagar conta de luz  

O governo britânico lançou, nesta quinta-feira (3), um pacote de ações no valor de 9,1 bilhão de libras para auxiliar 28 milhões de famílias no pagamento da conta de energia elétrica, que vai subir em todo o território a partir de abril. O pronunciamento pelo chanceler do Tesouro do Reino Unido, Rishi Sunak, foi feito logo após o Escritório de Mercados de Gás e Eletricidade (OFGEM, sigla em inglês), órgão regulador de energia, anunciar o aumento anual médio da tarifa em 693 libras.

Por causa da alta estimada em 54% no preço da fatura, os contribuintes que vivem nas faixas de impostos municipais de A-D, o que corresponde a cerca de 80% das residências na Inglaterra, receberão um depósito único de 150 libras (o equivalente a 1079,69 reais). A quantia será creditada em abril, mês em que ocorre o reajuste e, segundo o comunicado, os cidadãos beneficiados não vão precisar fazer a devolução do valor no futuro. Na outra etapa do programa, está previsto um desconto total de 200 libras nas contas de luz dos consumidores a iniciar em outubro, que deverá ser restituído ao governo em parcelas anuais, a serem pagas a partir de 2023.

”Sem a intervenção do governo, o aumento do teto de preço deixaria a família média tendo que encontrar 693 libras extras. As ações que estou anunciando hoje fornecerão à grande maioria das famílias pouco mais da metade desse valor, 350 libras”, declarou o chanceler aos parlamentares.

Parte do valor do pacote vai beneficiar as pessoas em situação econômica vulnerável, garantiu Sunak. De acordo com o chanceler, as autoridades locais vão receber 150 milhões de libras para fazer pagamentos discricionários aos mais necessitados. O número de famílias elegíveis para o desconto deve aumentar em um terço. Ainda conforme o anúncio, o Tesouro fará um aporte financeiro para as administrações descentralizadas na Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte a fim de compensar os custos crescentes de energia das famílias com a renda abaixo da média.  

O aumento recorde nos preços globais do gás nos últimos seis meses fez com que o valor das contas de luz disparassem no Reino Unido, como ocorre também em diversos países europeus. No território britânico, muitas empresas de energia de pequeno porte decretaram falência devido à incapacidade dos fornecedores de cumprir promessas de preços aos clientes, o que afetou 4,3 milhões de consumidores na terra da rainha.   

Compartilhar