Reino Unido inclui mais sete países à “lista verde” de viagem

A partir da próxima segunda-feira (30), viajantes de sete territórios estarão isentos da obrigatoriedade de quarentena ao chegar no Reino Unido. Canadá, Dinamarca, Finlândia, Liechtenstein, Lituânia, Suíça e Ilha dos Açores serão adicionados à “lista verde”, que classifica países terceiros de acordo com os níveis epidemiológicos de cada um. A partir da mudança, anunciada nesta quinta-feira (26) pelo governo britânico, a categoria passará a contar com 43 países. Por enquanto, o Brasil segue na “lista vermelha”, que estabelece obrigatoriedade de quarentena em hotel aos viajantes que desembarcam na Terra da Rainha.

Apesar da isenção de quarentena, passageiros oriundos de países da “lista verde” ainda deverão apresentar um teste PCR ou antígeno com resultado negativo para Covid-19 antes de embarcar para o Reino Unido. O exame deve ser feito com antecedência máxima de 72 horas à viagem. Após aterrissar no território britânico ou na Irlanda do Norte, o viajante também precisará realizar um segundo teste PCR ou antígeno em até dois dias. As duas exigências, de antes e depois do embarque, também valem para passageiros totalmente vacinados.

Além da mudança na “lista verde”, o Reino Unido também irá incluir, a partir de segunda, a Tailândia e Montenegro à “lista vermelha”. Ambos estavam na categoria “Âmbar” até então.

Reino Unido enfrenta crescimento de novos casos, hospitalizações e óbitos por Covid-19

Desde o dia 31 de julho, o território britânico enfrenta em novo aumento no número de casos diários de Covid-19. Nos últimos sete dias, por exemplo, o Reino Unido contabilizou 238,5 mil novos diagnósticos positivos para coronavírus. O total representa um aumento de 11,1% em relação semana entre 13 e 17 de agosto. Nesta quinta-feira, mais 38,2 mil pessoas testaram positivo para coronavírus.

Com a mesma tendência de aumento, o número de pacientes hospitalizados nos últimos sete, 6.186, dias cresceu 14% em comparação com a semana entre os dias 9 e 15 de agosto. Os óbitos de pessoas que testaram positivo para a doença nos últimos 28 dias teve um acréscimo de 140 casos nesta quinta. Nos últimos sete dias, são 770 vítimas fatais da doença, cuja taxa cresceu 14% em relação à semana dos dias 13 a 19 deste mês.

Compartilhar