Covid-19: Reino Unido é a primeira nação a aprovar uso de remédio

O Reino Unido se tornou a primeira nação do mundo a autorizar o uso de uma medicação para o tratamento de Covid-19. A aprovação do molnupiravir pela Agência Regulatória de Remédios e Produtos para a Saúde (MHRA, sigla em inglês) foi anunciada pelo governo britânico na tarde desta quinta-feira (4): “Este será um divisor de águas para os mais vulneráveis ​​e imunodeprimidos, que logo poderão receber o tratamento inovador”, comemorou Sajid Javid, secretário de Estado da Saúde e Assistência Social.

Segundo o órgão regulador, o uso da droga é seguro e eficaz. Conforme os especialistas, o tratamento com o remédio deve auxiliar na redução dos índices de hospitalização e morte por coronavírus, nos casos considerados leves e moderados. 

Desenvolvido pela farmacêutica MSD (Ridgeback Biotherapeutics and Merck Sharp & Dohme), o molnupiravir funciona interferindo na replicação do vírus, o que afeta a capacidade e velocidade de reprodução no corpo humano. De acordo com o fabricante da medicação, o estudo clínico apontou que o remédio diminui pela metade as chances de progressão da doença para a forma severa, especialmente entre os participantes que foram tratados no início dos sintomas, logo após o teste positivo.

A Comissão de Medicamentos da agência reguladora também recomenda o uso do antiviral para aqueles que apresentam, ao menos, um fator de risco, como obesidade, vítimas com idade acima dos 60 anos, diabetes e doenças cardíacas. O governo ainda não anunciou quando vai começar a distribuição do medicamento, que vai ser, inicialmente, disponibilizado aos pacientes contaminados através de estudo conduzido em conjunto com o Serviço Nacional de Saúde (NHS, sigla em inglês). No entanto, o comunicado afirma que isso deve ocorrer “o mais rápido possível”.

As autoridades sanitárias observam que o molnupiravir não deve ser considerado um substituto da vacinação contra a Covid-19: “Este antiviral será uma excelente adição ao nosso arsenal contra a Covid-19, e continua sendo vital que todos se apresentem para tomar a vacina de Covid-19, que salva vidas”, ressaltou Sajid Javid.

Desde o início da pandemia, mais de nove milhões de casos de coronavírus foram registrados no Reino Unido, enquanto 141.395 mil pessoas morreram em função da doença. Segundo dados oficiais, quase 80% da população já foi completamente imunizada na Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. 

Compartilhar