União Europeia anuncia € 1 bilhão em ajuda humanitária para o Afeganistão

A Comissão Europeia anunciou, nesta terça-feira (12), que vai fornecer 1 bilhão de euros em ajuda humanitária para o Afeganistão e países vizinhos afetados pela tomada de controle do território por parte do Talibã. A declaração foi realizada durante o encontro extraordinário da cúpula do G20 que ocorre em Roma, na Itália. O assunto da reunião é a situação no Afeganistão.

Ao fazer o comunicado, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, reforçou que o auxílio não legitima o governo interino do grupo extremista, e que a medida pretende evitar uma catástrofe humanitária e socioeconômica no país: ”Os afegãos não deveriam pagar o preço das ações do Talibã”, declarou a líder em nota oficial.

Parte do subsídio, o equivalente a 300 milhões de euros, vai ser destinado para ajuda humanitária, incluindo apoio na campanha de vacinação contra a Covid-19, abrigo e proteção dos direitos humanos. Pelo menos 250 milhões de euros deverão ser utilizados para auxiliar em ”necessidades urgentes”, como na saúde.

O fundo também prevê um reforço na segurança aos cidadãos afegãos, além da prevenção do terrorismo, luta contra o crime organizado e no contrabando de imigrantes. O valor oriundo do bloco europeu vai ser repassado à população pelas organizações internacionais que trabalham na crise no país.

O encontro do G20 nesta terça-feira (12) discutiu o apoio humanitário urgente para o Afeganistão, que sofre diversos problemas, como a falta de liquidez dos bancos e aumento dos preços de itens de necessidades básica. A situação se agravou desde a retomada de controle político pelo grupo Talibã, no dia 15 de agosto.

A reunião ainda abordou assuntos como a luta contra o terrorismo, liberdade de movimento e a abertura das fronteiras para migrantes. Para a União Europeia (UE), uma relação com os mais recentes líderes de Cabul é descartada no momento, por estar condicionada a uma lista de critérios básicos, relacionados, principalmente, aos princípios de direitos humanos.

Plano para refugiados em países da UE

Atualmente, a Comissão Europeia garante a passagem segura de afegãos afiliados à UE para os países do bloco. A proteção é estendida a grupos de pessoas vulneráveis, o que inclui jornalistas, ativistas sociais, policiais e autoridades judiciárias, bem como os seus familiares. 

Além dos esforços imediatos, a União Europeia promete apoiar, no futuro, os Estados-Membros que desejarem acolher refugiados do Afeganistão em risco. Para isto, será criado um programa de financiamento para reinstalações e admissão humanitária, que prevê, além dos repasses financeiros, assistência operacional por parte das agências de Justiça e Assuntos Internos da UE.

Compartilhar