De Recife para o mundo: a trajetória de Domitila Barros, a Miss Alemanha 2022

Domitila na final do Miss Alemanha. Crédito: Tobias Dick/Divulgação.

Ativista social e ambiental, empreendedora, modelo, atriz e Miss Alemanha 2022. Natural do Morro da Conceição, em Recife, Domitila Barros firma uma trajetória de inspiração longe do seu país de origem. Há 16 anos morando em Berlim, na capital alemã, a brasileira de 37 anos se viu no auge da carreira em fevereiro desse ano, quando ganhou o concurso Miss Alemanha.

A partir desta terça-feira (5), Domitila embarca em uma nova aventura para cumprir uma série de compromissos em diferentes países, que incluem a gravação de um comercial, realização de palestras, participação em feiras e grandes eventos, além de visitas a projetos sociais e fechamento de novas parcerias. Nessa turnê especial, a miss vai transitar por cidades europeias como Munique, Paris, Cannes, e também em solo brasileiro, em São Paulo e na terra natal, Recife.

Domitila foi a primeira mulher imigrante a ganhar o concurso de Miss Alemanha. Em entrevista ao Agora Europa, ela faz um balanço sobre o seu caminho. “Todo o processo me deu muita fé e esperança, até todas as coisas negativas que passei se transformaram em algo positivo. Tudo acabou me dando força e é isso que faz parte da minha jornada e resiliência por todos esses anos”, reflete.

O engajamento social de Domitila começou ainda quando a brasileira tinha 13 anos. Incentivada pelos pais, a recifense ajudava na associação da família, que alfabetiza crianças carentes da comunidade onde vivia. Com sede de fazer a diferença, ela foi descoberta pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) e pela Disney em 2000 ao ser uma das jovens selecionadas para o prêmio ‘Sonhadores do Milênio’.

O programa reconhecia adolescentes que atuavam em ações comunitárias e trabalhos voluntários.  “Quando eu recebi esse prêmio eu percebi que, através do trabalho social, eu poderia viajar o mundo e mudar a minha realidade através da educação”, relembra a ativista, que é formada em Serviço Social, no Recife.

Com surpresas ao longo da estrada, em 2006 Domitila viu mais uma chance de mudar o seu destino. Nesse período, ela ganhou uma bolsa de estudos para fazer um mestrado de Ciências Políticas e Sociais em Berlim. Até, então, o seu plano era voltar para o Brasil após o término do curso, mas a vida seguiu com novos rumos.

“No meio do corredor da faculdade, uma pessoa me chamou para fazer uma novela na Alemanha e eu comecei a entender que tudo era uma questão de oportunidade e que isso não bateria duas vezes na mesma porta. Eu queria usar a minha arte para trazer um impacto ambiental e sociocultural”, relembra a miss. A brasileira tinha conhecimento de artes cênicas, já que aos sete anos de idade fez aulas de atuação e de dança oferecidas na sua comunidade.

Como mulher, imigrante e negra, a brasileira conta que já passou por situações de preconceito, mas exalta que há um forte respaldo oferecido pela polícia e por casas de apoio às mulheres na Alemanha. “Sofri mais xenofobia por ser mulher brasileira na Alemanha, me incomodava mais do que o racismo, mas sofri o mesmo aspecto no Brasil e lá é mais perigoso”, avalia Domitila.

Trajetória Miss Alemanha 2022

A premissa do concurso alemão tem três pilares: responsabilidade social, empoderamento e diversidade. Como as missões da competição são similares às suas, Domitila decidiu se candidatar, despretensiosamente, quando viu a propaganda sobre as inscrições. Em agosto do ano passado, a brasileira ficou entre as 160 selecionadas, após a primeira etapa, onde as candidatas passaram por períodos de viagens, workshops e debates. Nessa fase de imersão, o objetivo é que os jurados possam conviver e conhecer a missão de cada uma delas, além de avaliar o engajamento das participantes.

Até que, em fevereiro deste ano, Domitila foi consagrada como a Miss Alemanha 2022, onde dividia o palco com mais 21 candidatas. “O maior prêmio é ganhar a plataforma Miss Alemanha para colocar em prática as suas missões. As minhas são justiça social e sustentabilidade e eu vou ter toda a atenção da imprensa e do governo para estar assumindo a minha narrativa nesses aspectos”, comemora. Há três anos, a Alemanha não participa mais do Miss Mundo, por não concordar com o conceito atrelado a um padrão estético.

Crédito: Yared/Divulgação

Empreendedorismo sustentável

Além dos trabalhos como modelo e atriz, Domitila criou em 2007 a “She is from the jungle”, empresa de biojoias criadas usando o capim dourado como matéria-prima. A produção das peças é feita integralmente por mulheres brasileiras da favela Linha do Tiro, no Recife, e também do estado de Tocantins. “Eu sempre falo sobre empoderamento feminino, mas até para ser empoderada, você precisa também ter acesso à independência financeira”, opina.

Recentemente, em janeiro deste ano, a companhia também estendeu a cartela de produtos para shampoos em barras produzidos por mulheres alemãs. Com o desenvolvimento e crescimento do negócio, Domitila viu a oportunidade de integrar as duas culturas em uma única empresa, trazendo assim, uma parte da produção para dentro da Alemanha. “Comecei a empreender com 20 peças, a gente não tem que esperar ter dinheiro para começar. Nunca estaremos prontos, mas o importante é meter a cara e tentar”, reflete a miss e empresária.

Para o futuro próximo, em sua passagem pelo Brasil nesta turnê especial, a recifense vai acompanhar, de perto, as artesãs que trabalham para a sua empresa, com o objetivo de impulsionar trocas entre as economias brasileira e europeia. Além disso, dentre os seus projetos de cunho ambiental, a Miss Alemanha também vai visitar uma plantação de erva mate, de onde virá a substância para um produto que pretende lançar em breve em terras germânicas. O propósito de Domitila com as ações promovidas é dar visibilidade bilateral aos negócios e impactar, positivamente, o mercado entre os dois países.

Compartilhar