Uber reconhece sindicato para representar 70 mil motoristas no Reino Unido

GMB poderá representar até 70 mil motoristas em todo o Reino Unido. (Foto: Unsplash)

A empresa Uber fechou um acordo histórico reconhecendo formalmente o GMB como o sindicato para representar até 70 mil motoristas em todo o Reino Unido. Ambos trabalharão juntos uma série de tópicos, como rendimentos nacionais, desativação de contas, representação aos trabalhadores e organização dos motoristas, assim como em temas que envolvam saúde, segurança e bem-estar.

Segundo o sindicato, os condutores terão “liberdade de escolher se, quando e para onde dirigir, e terão a opção de serem representados pelo GMB”. No entanto, os motoristas não se tornarão membros automaticamente da entidade, mas poderão se inscrever para participar da negociação coletiva.

Na prática, o GMB terá acesso a reuniões com os motoristas para apoiá-los e poderá representá-los, por exemplo, se eles perderem acesso ao aplicativo. A entidade sindical também deverá se reunir com a empresa para melhorar o futuro do trabalho da plataforma.

A decisão está baseada nas mudanças feitas no início deste ano, a partir de uma decisão histórica da Suprema Corte britânica, que garantiu a todos os motoristas da Uber no Reino Unido o direito a pelo menos o salário mínimo nacional, férias e um plano de pensão. O salário mínimo nacional no país, conforme a última atualização em abril deste ano, é de £8.91 por hora trabalhada para pessoas com 23 anos ou mais.

Conforme Mick Rix, representante nacional do GMB, o acordo é histórico e mostra que as grandes empresas não precisam ser um “oeste selvagem” na fronteira da garantia dos direitos trabalhistas.

“Quando as empresas privadas de tecnologia e os sindicatos trabalham juntos dessa forma, todos se beneficiam – trazendo empregos dignos e seguros de volta ao mundo do trabalho. Agora pedimos a todos os outros operadores que façam o mesmo”, afirmou Rix.

O GMB

O GMB existe há 132 anos e representa mais de 620 mil membros que trabalham nos serviços públicos, para empresas privadas, em empregos a período integral ou parcial, no Reino Unido.

Leia mais:
Espanha garante direitos trabalhistas aos entregadores por aplicativo
Brexit impõe cobrança de nova taxa sobre entregadores de aplicativos
Estabelecimentos brasileiros ganham novo serviço de entrega em Dublin

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.