Londres: Policial se declara culpado pelo assassinato de Sarah Everard

Sarah Everard, 33, desapareceu em 3 de março, em Londres, enquanto voltava para casa.
(Foto: Divulgação/Met)

O policial Wayne Couzens, de 48 anos, se declarou culpado pelo assassinato de Sarah Everard. A jovem, executiva de marketing, de 33 anos, havia desaparecido no dia 3 de março, em Clapham, no Sul de Londres, enquanto voltava para casa. Seu corpo foi encontrado uma semana depois em uma floresta, em Kent. O assassinato da jovem reascendeu o debate sobre violência contra mulher no Reino Unido.

Couzens, que será sentenciado no dia 29 de setembro por assassinato, sequestro e estupro, esteve nesta sexta-feira (9), em Old Bailey, Tribunal Central Criminal, onde admitiu o crime. Ele já havia se confessado culpado pelo sequestro e estupro de Sarah em uma audiência no mês passado. A vítima e o policial não se conheciam.

A comissária Cressida Dick, da Polícia Metropolitana de Londres, lamentou o crime e disse que todos se sentem traídos pelo assassino: “Todos nós no Met estamos enojados, irritados e devastados pelos crimes verdadeiramente terríveis deste homem. Todos no policiamento se sentem traídos”, afirmou Cressida.

“Sarah era uma jovem fantástica e talentosa com toda a sua vida pela frente e isso foi roubado. Ela foi extremamente amada e sua falta será sentida por tantas pessoas”, acrescentou a comissária.

Como o crime aconteceu

Segundo a investigação, o policial sequestrou Sarah no dia 3 de março, enquanto ela fazia seu caminho de retorno para casa, depois de deixar a residência de seus amigos, por volta das 21h. Ele colocou a vítima em um carro alugado. Sarah foi estuprada e estrangulada.

No dia 9 de março, Couzens foi preso pelo desaparecimento da jovem. O corpo foi encontrado no dia 10 de março, em uma floresta em Kent, próximo de uma propriedade pertencente ao acusado. No dia 12 de março, a Polícia Metropolitana de Londres confirmou que os restos mortais eram de Sarah. 

No dia 13 de março, uma grande vigília foi realizada em Clapham Common, perto de onde a jovem havia desaparecido. O evento gerou uma polêmica resposta policial, com prisões por violação dos regulamentos de Covid-19.

Denúncias de má conduta

O Escritório Independente de Conduta Policial (IOPC, em inglês) divulgou uma atualização sobre suas investigações de conduta, após Wayne Couzens ter se declarado culpado no caso de Sarah Everard. Conforme o escritório, um total de 12 notificações de má conduta ou má conduta graves sobre policiais de várias forças foram recebidas, enquanto a investigação de questões relacionadas à Couzens continua em andamento. 

Também está sendo realizada uma investigação sobre supostas falhas do MPS em investigar duas alegações de exposição indecente ligada a Couzens em Londres em fevereiro de 2021. Ainda há uma investigação sobre supostas falhas da Polícia de Kent em investigar um incidente de exposição indecente relacionado a Couzens em Kent em 2015.

Wayne Couzens ingressou no Serviço de Polícia Metropolitana (MPS) em setembro de 2018. Em fevereiro de 2020, mudou-se para o Comando de Proteção Parlamentar e Diplomática, onde sua função principal era patrulhar as instalações diplomáticas, principalmente embaixadas.

Wayne Couzens, 48, será sentenciado em 29 de setembro, na Inglaterra.
(Foto: Divulgação/Met)

Compartilhar