Portugal: operação flagra brasileiros irregulares e ordena que deixem o país


Cinco brasileiros, que residem ilegalmente em Portugal, foram flagrados por uma operação de fiscalização do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), realizada na madrugada desta sexta-feira (15) em casas noturnas de cinco cidades do Centro do país. Após as abordagens, o grupo foi intimado a deixar o país em, no máximo, 20 dias, conforme define a legislação portuguesa. 

A ação fiscalizou cerca de 100 pessoas. A operação, chamada de “Aedos”, foi realizada para “verificar as condições de entrada, permanência e saída de cidadãos estrangeiros em Portugal”. Além dos cinco brasileiros que foram intimados a deixarem o país, também foram localizadas três imigrantes com contratos de trabalho falsos. Todos os notificados poderão recorrer da determinação do SEF.

De acordo com o órgão de imigração, esse tipo de fiscalização também permite “identificar, prevenir e combater as mais diversas formas de exploração de imigrantes em situação de fragilidade socioeconômica e documental, principalmente exploração laboral e sexual”.

A fiscalização ocorreu nas cidades de Coimbra, Figueira da Foz, São João da Madeira, Leiria e Viseu. A ação é realizada periodicamente no país.

Em 2020, devido à pandemia de Covid-19, as operações caíram 41% na comparação com o ano anterior, conforme o último Relatório de Imigração e Asilo. Nestas fiscalizações, foram notificados 1.078 cidadãos a deixarem Portugal.

Os brasileiros lideram o ranking de nacionalidades com cidadãos em residência irregular no solo luso. Em 2020, foram 1.286 casos, de acordo o mesmo relatório oficial. O número é sete vezes maior que os cidadãos da Moldávia, que estão em segundo lugar na lista.

Compartilhar